quinta-feira, 15 de dezembro de 2016

Novinhas dançando funk dentro da igreja refletem problemas nas lideranças

Blog do Instituto Gamaliel.
(Foto: Reprodução/Divulgação)
As modinhas criadas por algumas igrejas neo-pentecostais estão a cada dia surpreendendo pela sua capacidade de mostrar que em algum momento eles erraram nas estratégias para atrair os jovens.
A consequência disso, são adolescentes mimados e que não sabem respeitar o templo e muito menos o altar da igreja.
Como vemos no vídeo abaixo, uma meia duzia de novinhas se juntaram para dançar funk dentro da igreja, com direito a quadradinho de oito e tudo mais a que tenham direito.

Ao fundo, um som característico chama as meninas para mexerem seus quadris de forma extremamente sensual e sem pudor.



quarta-feira, 14 de dezembro de 2016

Encontros de Jesus: O paralitico de cafarnaum

“Mas, para que vocês saibam que o Filho do homem tem na terra autoridade para perdoar pecados — disse ao paralítico — eu lhe digo: Levante-se, pegue a sua maca e vá para casa.” (Marcos 2.10-11)
O homem a quem Jesus disse essas palavras tinha bons amigos. Foram eles que o levaram para encontrar-se com Jesus. O texto não afirma que eram seus amigos, mas podemos dizer que eram porque estavam agindo com verdadeiros amigos. A casa em que Jesus se encontrava estava repleta de pessoas. Eles chegaram e ninguém lhes abriu caminho. Eles não se deram por vencidos: subiram no telhado e fizeram uma abertura por onde desceram a maca em que trouxeram o homem deficiente. Eles criam que Jesus era a solução para a necessidade de seu amigo paralítico. O que nossos amigos creem produz consequências em nossa vida. Jesus se compadeceu e dedicou completa atenção ao homem. Era claro para todos que o problema ali era a paralisia e a cura era a solução. Mas Jesus tinha outra visão do mesmo fato e via um outro problema como o mais urgente.
Diz o texto que “Vendo a fé que eles tinham, Jesus disse ao paralítico: Filho, os seus pecados estão perdoados.” (Mc 2.5) Imagino os amigos do paralítico se entreolhando confusos: “como assim perdoados estão os seus pecados!?” Eles haviam vindo pela cura do corpo, mas Jesus começa pelo espírito. Antes de curar Jesus perdoou. A cura da paralisia seria uma grande benção, mas de valor temporário. O perdão dos pecados era a maior das bênçãos, pois seria de valor eterno. Os mestres da Lei veem na atitude de Jesus uma blasfêmia. Eles estavam certos em atribuir o perdão que liberta do pecado a Deus e somente a Deus. Mas estavam errados, pois ignoravam quem era Jesus. Estavam diante do Filho de Deus, que veio ao mundo para nos livrar dos nossos pecados. Ele podia curar, mas veio para perdoar! E neste caso, fez da cura um sinal de sua autoridade para perdoar.
O homem foi curado. Levantou-se, pegou a sua maca e saiu andando na presença de todos (Mc 2.12). A cura de Jesus lhe deu autonomia e capacidade de andar. Andar com um vigor e firmeza, permitindo-lhe inclusive carregar a própria maca – uma cama de madeira sem os pés razoavelmente pesada. Mas, e quanto ao perdão dos pecados? Que resultados produziriam na vida daquele homem? Responda você mesmo! Você tem experimentado o perdão de Deus? E então? Que resultados ele tem produzido em sua vida? Uma vez perdoado, como você lida com os pecados dos seus irmãos? Há mais gratidão e amor em sua vida, para com Deus e as pessoas? O perdão de Cristo tem feito de você uma pessoa melhor?

Fonte: ADIBERJ

domingo, 11 de dezembro de 2016

Aos 98 anos, pastor lidera ministério de oração e prega o Evangelho

COM FORÇA E VIGOR, PASTOR DE 98 ANOS LIDERA MINISTÉRIO DE ORAÇÃO, INTERCESSÃO, EVANGELIZA E ACONSELHA NOVOS PASTORES.


A chamada para a Obra de Deus é irrevogável, e isso sabe muito bem um pastor de 98 anos de idade, que continua pregando a Palavra de Deus e está no comando de um ministério de oração e intercessão.

anuncio post Tiddy Senapatiratne é um velho pastor que vive no Sri Lanka, e apesar da sua idade, ele continua comprometido com a evangelização no seu país e fornece aconselhamento para outros pastores mais jovens.
Também aconselha enviando cartas aos outros pastores que estão dentro do país, encorajando-os a permanecerem firmes nos ensinamentos da Bíblia e viver com fé em Deus.

Em uma de suas últimas cartas a um missionário, o pastor Tiddy destaca a importância da Bíblia para cada cristão, comparando as Escrituras como um grande tesouro que devemos valorizar.

“Deus nos ordena a meditar em Sua Palavra de dia de noite (Josué 1: 8,9). Não só Ele nos mandou fazer isso, mas também nos deu promessas. Josué tinha apenas 5 livros naquela época, mas agora temos 66 livros da Bíblia para ler e obedecer e temos muitas mais promessas neles “, disse o pastor, ao site Christ Connection.

“Nós lemos a Palavra de Deus, muitas vezes, e se possível todos os dias, pelo menos, uma pequena porção a cada dia, para que possamos crescer espiritualmente e nos dar força em nossa vida cristã”.

Tiddy contou o que fez o Sr. Leisser, proprietário de uma empresa inglesa no Sri Lanka. “Ele disse que tinha lido a Bíblia 40 vezes. Ele a conhecia muito bem do início ao fim. Nós não precisamos fazer muito, mas se nós a lêssemos tantas vezes quanto nos for possível e a usarmos para a glória de Deus para salvação das almas, seremos muitos abençoados. Também seria útil se nós aprendêssemos e memoriássemos os versículos bíblicos”.

“Porque a palavra de Deus é viva e eficaz, e mais penetrante do que espada alguma de dois gumes, e penetra até à divisão da alma e do espírito, e das juntas e medulas, e é apta para discernir os pensamentos e intenções do coração.” – Hebreus 4:12


sexta-feira, 25 de novembro de 2016

Clero é rico de “dinheiro” e de “soberba”, diz Papa

Ansa
Da folha PE

Discurso se deu durante evento, da 36ª Congregação dos Jesuítas
Ao discursar na quinta-feira (24), no Vaticano, para delegações de jesuítas , o papa Francisco criticou o cle­ro e disse que ele é “rico” não apenas de “dinheiro”, mas também de “soberba”. O discurso se deu durante evento, da 36ª Congregação dos Jesuítas. 

“O clericalismo é rico. E se não é rico de dinheiro, o é de soberba. Mas é rico, tem um apego às posses. Ele não se deixa ser criado pela mãe pobreza, não deixa que protejam o muro da pobreza. O cle­ricalismo é uma das piores formas de riqueza pelas quais a Igreja é acometida, ao me­nos em alguns lugares da Igreja e mesmo nas experiências mais cotidianas”, afirmou o Papa.

O religioso argentino – que foi o primeiro jesuíta a ser elei­to Papa - também disse que “as críticas” feitas à Companhia de Jesus e a ele “têm um sabor de tipo restauracio­nista. Vale a pena dizer que são críticas que desejam uma restauração. Por detrás da críticas, há este tipo de pensamento”, afirmou.


quinta-feira, 24 de novembro de 2016

Começa o pré lançamento do filme ‘Para Sempre’ nos cinemas do Brasil

Do Adiberj.
(Foto: Reprodução/Divulgação)
Com a proposta de usar uma história de amor para despertar a fé em seu público, o filme “Para Sempre” entrou em temporada de pré-lançamento nos cinemas do Brasil.
Nas duas semanas que precedem o lançamento oficial, que será no dia 8 de dezembro, uma turnê de pré exibição irá marcar 11 capitais do país, segundo informou o pastor Gilsemar Silva, diretor da Canzion Brasil, distribuidora do filme no país.
O longa conta a história de Michael e Michelle (Stephen Anthony Bailey e Madison Lawlor), que vivem uma história repleta de amor e fé. Mas o sonho do jovem casal de ter um futuro juntos é interrompido quando Michael é diagnosticado com uma forma rara de leucemia. Eles agora enfrentam circunstâncias que vão testar os limites do seu amor e da sua fé.
Baseado em fatos reais, “Para Sempre” teve mais de 14 anos de pesquisa antes de ser filmado. Bonnie Boyum, mãe do protagonista da trama, foi quem iniciou o sonho de filmar história da luta da família contra a leucemia. Bonnie, também colaborou nas pesquisas junto ao diretor e roteirista do longa, Michael Linn.
Com produção feita pela Linn Productions e Gateway Films, o longa foi rodado em apenas dois meses e de forma autêntica, registrando vários locais onde muitos fatos aconteceram, como o hospital, as casas das famílias e a igreja nas cidades da região de Minessota, nos Estados Unidos.
Cinema como ferramenta de evangelização

Segundo o cantor Peter Quintino, os filmes cristãos são ferramentas não só de evangelismo, mas de edificação dos cristãos. “Tudo é válido para o Reino e para a glória de Deus, desde que o foco esteja correto. O cinema, a música e todo tipo de arte cristã são para a glória de Deus”, disse ele.

quinta-feira, 17 de novembro de 2016

Cardeais pedem que Papa mude ensinamentos sobre questões de família

Do Adiberj / Gospel Prime
(Foto: Reprodução)
Alguns dos ensinamentos do papa Francisco na encíclica “Amoris Laetitia” [A Alegria do Amor], estão sendo questionados por quatro cardeais conservadores católicos. Para eles, esse é documento de peso sobre a família, mas que semeia confusão sobre temas morais importantes, como o divórcio e a homossexualidade.
Os cardeais estão vindo a público com sua reclamação, pois o Papa não respondeu ao pedido feito por eles em abril. Na encíclica, Francisco pede que a igreja católica seja menos rígida e mais compassiva com os membros “imperfeitos”. Cita como exemplo aqueles que se divorciaram e voltaram a se casar. Seu argumento é que “ninguém pode ser condenado para sempre”.
Ele pediu aos sacerdotes de todo o mundo que “acolham” gays, lésbicas e outras pessoas que vivem em situações que a igreja considera “irregulares”. Não disse que considera válido o casamento gay, mas a linguagem dúbia afirma que devem ser valorizados os “sinais de amor de que, de algum modo, refletem o amor de Deus”.
Na época que foi publicado o documento de 260 páginas, argumentou-se que era uma tentativa de tornar a igreja “mais inclusiva” e “menos condenatória”.  Os cardeais — dois alemães, um italiano e um norte-americano — tomaram uma postura considerada extrema.
No passado, o pontífice teve desentendimentos com os mais conservadores dentro do Vaticano. Eles temem que Francisco esteja enfraquecendo os ensinamentos milenares sobre a família, preferindo se dedicar a defender problemas sociais como a mudança climática e a desigualdade econômica.
Segundo a lei da igreja, quem se divorcia e volta a casar não poderia receber a comunhão, uma vez que seu primeiro casamento ainda é válido e por isso eles estão vivendo em adultério. Na encíclica, o Papa fica ao lado dos progressistas que deixam a cargo do padre ou bispo decidir, juntamente com o fiel, se ele ou ela pode ser reintegrado plenamente e receber a comunhão.
Erro Papal
Em uma entrevista ao National Catholic Register, o Cardeal Raymond Burke explicou que a decisão de confrontar publicamente o papa é justificada pela ‘tremenda divisão’ que a encíclica pode causar no seio da Igreja.
Segundo ele, a Igreja Católica neste momento “passa por uma enorme confusão em relação a vários pontos da encíclica… esses pontos críticos estão relacionados com princípios morais irreformáveis”. Assegura ainda que os cardeais acreditam ser sua responsabilidade “pedir um esclarecimento a respeito dessas questões, com o objetivo de colocar fim à propagação da confusão que, de fato, está levando o povo ao erro”.
Burke alega que o papa “é o fundamento da unidade dos bispos e de todos os fiéis. Essa ideia, por exemplo, de que o papa deva ser algum tipo de inovador, que está conduzindo uma revolução na igreja ou algo do tipo, é completamente alheia ao Múnus Petrino [autoridade passada por Pedro]”.
Citando o versículo de Gálatas (1:8), lembra que ninguém pode “pregar qualquer evangelho diferente do qual eu [Paulo] vos preguei”. Logo, existe na tradição da Igreja, a prática da correção ao Sumo Pontífice. Embora seja algo muito raro, os cardeais estão dispostos a exigir que Francisco corrija o que seria “um grave erro”.


domingo, 13 de novembro de 2016

Formação de líderes

Quando estudamos sobre a Igreja Multiplicadoratemos como um dos princípios a formação de líderes. É bom recordar os 5 princípios da Igreja Multiplicadora: Oração, Evangelização Discipuladora, Formação de Líderes, Plantação de Igrejas e Compaixão e Graça.
Quando penso na pessoa do líder me recordo do que disse Josué Campanhã: “Sua liderança é um reflexo direto de quem você é. Sua postura como líder nunca será melhor do que sua postura como pessoa.”
Não podemos esquecer que o líder está em evidência, as pessoas observam sua forma de agir, falar, andar e criam expectativas sobre ele.
James Hunter autor do livro O Monge e o Executivo define líder assim: “ Liderar é influenciar e inspirar pessoas para agirem. Liderança não é apenas gerenciamento. Gerenciar é planejar, resolver problemas, organizar. Essas coisas são importantes, mas não fazem da pessoa um líder.”
É necessário investir na formação de líderes, pois os líderes são condutores, são pessoas que exercem influência.
O líder precisa conhecer a si mesmo, ter domínio próprio e ter uma missão de vida.
Precisamos formar líderes tementes a Deus, homens e mulheres de coragem para influenciar e não ser influenciado.
Cleverson Pereira do Valle
Bacharel em Teologia pela FTBSP e EST
Pós-graduado em Aconselhamento Bíblico pela FTBC



domingo, 6 de novembro de 2016

Mar Morto está voltando à vida, seria cumprimento de profecia?

Do Adiberj.
Vista aérea do Mar Morto (Foto: AFP Photo/Menahem Kahana)
Quase dez vezes mais salgado do que o oceano, nada pode viver no Mar Morto, um ambiente hipersalino – ou assim acreditavam os cientistas até pouco tempo. A pesquisa científica provou a existência de vida no fundo do mar, mas devido a um conjunto único de circunstâncias, os sinais de vida começaram a aparecer em suas próprias costas, precisamente como está escrito no Livro dos Profetas.
Uma jovem mulher em uma caminhada, ficou chocada quando descobriu lagoas de água doce com peixes nas margens do Mar Morto. Samantha Siegel, uma mulher judia que vive em Jerusalém, em uma recente visita, encontrou uma visão incongruente com fortes implicações: uma profecia que aparece diante de seus olhos, que pareciam contradizer as leis da natureza.
O Mar Morto é, como o próprio nome indica, morto. Mais de 400 metros abaixo do nível do mar, é o ponto mais baixo em terra seca. Nenhuma vida pode existir em suas águas ultra-salgadas e suas margens são revestidas com uma espessa camada de sal que mata qualquer planta.
A sua falta de hospitalidade tem sido documentada durante séculos. Um mosaico no chão de uma igreja em Medeba, Jordan, que mostra um mapa para os peregrinos bizantinos em seu caminho para a Terra Santa, ilustra isso. Caracteriza uma imagem do nado dos peixes para baixo do rio Jordão e, em seguida, girando em torno de uma vez que chegam as águas do Mar Morto.
A Bíblia, no entanto, descreve um quadro muito diferente da região. Ló olhou para fora sobre o vale onde o Mar Morto é agora e vi uma região extremamente fértil e bem regada.
“E levantou Ló os seus olhos, e viu toda a campina do Jordão, que era toda bem regada, antes do Senhor ter destruído Sodoma e Gomorra, e era como o jardim do Senhor, como a terra do Egito, quando se entra em Zoar.” Gênesis 13:10-10
A Bíblia relata que a paisagem mudou quando o fogo e enxofre que destruiu Sodoma e Gomorra transformou o vale em um terreno abandonado e sem vida. Na verdade, as pessoas que visitam o Mar Morto hoje tem dificuldade de imaginar um grande e belo jardim na região árida.
Ainda mais desconcertantes são as profecias messiânicas de que a água vai fluir do leste de Jerusalém para o Mar Morto, e essas águas amargas vão encher-se com peixes e do deserto ao redor será repleto de vida.
Então disse-me: Estas águas saem para a região oriental, e descem ao deserto, e entram no mar; e, sendo levadas ao mar, as águas tornar-se-ão saudáveis.

E será que toda a criatura vivente que passar por onde quer que entrarem estes rios viverá; e haverá muitíssimo peixe, porque lá chegarão estas águas, e serão saudáveis, e viverá tudo por onde quer que entrar este rio. (Ezequiel 47:8 e9)

O nível da água no Mar Morto vem recuando a uma taxa fantástica de até um metro a cada ano. Isto é devido à água que está sendo desviada do rio Jordão para fins agrícolas e pela evaporação causada pelas obras minerais do Mar Morto. O nível da água caindo levou que buracos aparecessem nas margens do Mar Morto. Em uma visita à região árida, Siegel, descobriu-se que muitas dessas piscinas foram se enchendo de água doce, e ainda mais incrivelmente, sendo habitada por peixes.
A prova é inegável. Foi filmado por Siegel um vídeo onde os peixes são claramente visto nadando nas margens do Mar Morto, em piscinas cercadas por plantas verdes.
Água fresca no Mar Morto é um exemplo claro de como os profetas foram capazes de ver as coisas que permaneceram escondidas dos cientistas por milhares de anos. Em 2011, uma equipe de pesquisadores da Universidade Ben Gurion, no Neguev, enviou mergulhadores para o fundo do Mar Morto. Este esforço causou sérias dificuldades técnicas devido o ambiente ser supersalino, os equipamentos ficaram inoperantes. Foi a primeira vez que este tipo de mergulho tinha sido feito, e o que eles descobriram foi surpreendente.
Os pesquisadores descobriram enormes crateras no fundo do mar, a 15 metros de diâmetro e 20 metros de profundidade. Água fresca estava fluindo a partir dessas crateras, que foram alcatifados com tapetes de microorganismos, mostrando que o Mar Morto não estava totalmente morto. O início da profecia está no lugar, esperando para brotar.
Talvez o aspecto mais notável desta profecia bíblica que nos está sendo apresentada é como disse Siegel afirmou, “Esta é uma grande coisa, e ninguém está realmente falando sobre isso.”
“Naquele dia também acontecerá que sairão de Jerusalém águas vivas, metade delas para o mar oriental, e metade delas para o mar ocidental; no verão e no inverno sucederá isto.” Zacarias 14:8-8

Apocalipse Gospel

quarta-feira, 19 de outubro de 2016

O bom é inimigo do ótimo!

“Fazei tudo com amor” (1 Coríntios 16.14)
(Pastor Oswaldo)
Quantas vezes já ouvimos alguém falar: “está bom assim”. Em nossa cultura – e esta é uma cultura nefasta -, aprendemos com familiares e até colegas de trabalho e de escola que o importante é alcançarmos a nota para passarmos e realizarmos o trabalho comum ou cumprirmos a tarefa. Não precisamos ter disciplina, nos esforçarmos, buscarmos a excelência e estarmos descontentes com o comum. Ledo engano. Se queremos ser profissionais competentes, vocacionados com consciência de missão, pessoas que fazem a diferença, pessoas excelentes, precisamos mudar a mentalidade do “está bom assim”.
Tudo o que Deus fez era muito bom, excelente, com qualidade superior. Ele olhou para a sua natureza e teve gozo extremo, profunda alegria e satisfação. Nós somos filhos desse Deus Criador, Criativo, Sustentador e Salvador (João 1.12). O nosso Pai – Criador e Salvador nosso – nunca se contentou com o bom (Gn 1.31). A Sua criação, a sustentação de todas as coisas e a redenção em Cristo são excelentes. O nosso Pai é modelo de excelência. Ele nos ensina com a Sua Palavra como podemos viver acima da mediocridade. Como Filho, o Senhor Jesus fez um trabalho excelente para o Pai. Ele treinou homens com excelência para cumprirem a missão (Mt 28.18-20).
O Brasil é medíocre porque a sua população é, em sua maioria, a do jeitinho, do comum, “qualquer coisa serve” e “está bom assim”. Não temos compromisso com o horário, não temos disciplina nos projetos que trabalhamos, somos especialistas em rotina cansativa, por qualquer motivo faltamos a escola e ao trabalho, não somos estudiosos, perseverantes, e nos contentamos com o pouco, com o que é medíocre. O bom é inimigo do ótimo, do excelente. Notas baixas, rendimento baixo e produtos de baixa qualidade são fruto da mentalidade do “está bom assim”.
Aprecio ver as cidades do primeiro mundo. Não fico com inveja, mas gostaria que as cidades brasileiras fossem limpas, organizadas, com transporte coletivo excelente, com segurança eficiente e eficaz, com jardins criativos e otimamente cuidados; com a destinação competente dos resíduos sólidos, com energia limpa, com um povo educado, limpo, caprichoso e que busca a toda a hora a excelência em tudo o que faz. Isso tem muito a ver com o pensamento cunhado por um líder norte-americano: “pessoas certas, nos lugares certos e pelas razões certas”.
Não nos contentemos com o comum, com a acomodação e muito menos com a estagnação. Sejamos criteriosos em tudo o que fizermos. Planejemos bem as coisas, pois “quem falha em planejar, planeja falhar”. Deus não é glorificado quando em vez de fazermos coisas excelentes, as fazemos comuns, de qualquer jeito. Temos sido como o servo que, ao receber o talento do seu senhor, o enterrou, em vez de multiplicá-lo. Temos enterrado talentos em nossa acomodação doentia que está a um passo da estagnação mortal. Que o Pai nos livre do “está bom assim” e nos dê a graça de possuirmos um estilo de vida comprometido com a excelência. Que cada de nós diga diante de Deus: “Senhor, eu não quero o ‘está bom assim’, mas desejo ardentemente a excelência, o ótimo, aquilo que exalta e dignifica o teu excelso nome!
Pr. Oswaldo Luiz Gomes Jacob
Pastor da Segunda Igreja Batista em Barra Mansa – RJ
Colunista do Portal Adberj.



sábado, 24 de setembro de 2016

Pergaminho revela um dos primeiros textos do Antigo Testamento

Do Yahoo Noticias/AFP.
(Foto: Reprodução)
Um frágil pergaminho hebraico, que acaba de ser aberto e digitalizado, revelou a cópia mais antiga de uma escritura bíblica do Antigo Testamento já encontrada, anunciou na quarta-feira um grupo de pesquisadores.
Conhecido como o pergaminho En-Gedi, o rolo contém um texto do Levítico e data pelo menos dos séculos III ou IV, e possivelmente antes, segundo um artigo da revista Science Advances.
Trata-se do pergaminho mais antigo já encontrado do Pentateuco, a coleção dos cinco primeiros livros da Bíblia.
A publicação afirmou que decifrar seu conteúdo foi "uma importante descoberta da arqueologia bíblica".
O pergaminho em si não é o mais antigo já encontrado. Tal honra pertence ao bíblico Manuscritos do Mar Morto, que data de entre o século III antes de Cristo e o século II da nossa era.
A datação por radiocarbono mostrou que o pergaminho En-Gedi data do século III ou IV depois de Cristo, embora alguns especialistas acreditem que possa ser mais antigo.
As análises sobre o estilo da caligrafia e os traços das letras sugerem que poderia ser da segunda metade do século I ou de princípios do século II depois de Cristo.
Por muito tempo se pensou que seu conteúdo havia sido perdido para sempre porque o rolo foi queimado no século VI e era impossível tocá-lo sem que se desfizesse em cinzas.
O pergaminho foi encontrado em 1970 por arqueólogos em En-Gedi, lugar de uma antiga comunidade judia do fim do século VIII. Seus fragmentos foram preservados por décadas pela Autoridade de Antiguidades de Israel.
"A estrutura principal de cada fragmento, completamente queimada e esmagada, tinha se transformado em pedaços de carvão que continuavam se desintegrando cada vez eram tocados", disse o estudo.
Os pesquisadores utilizaram como ferramenta um avançado scanner digital para "desenrolá-lo virtualmente" e ver seu conteúdo.
"Ficamos impressionados com a qualidade das imagens", disse Michael Segal, diretor da Escola de Filosofia e Religião da Universidade Hebraica de Jerusalém.
Os cientistas também ficaram impactados com "o fato de que nessas passagens o pergaminho En-Gedi Levítico é idêntico em todos os seus detalhes, tanto as letras como a divisão em seções, ao que chamamos de texto massorético, o texto judaico vigente até hoje", disse Segal.
Os pesquisadores esperam que as técnicas utilizadas para lê-lo sirvam também para outros pergaminhos danificados, incluindo alguns da coleção do Livro do Mar Morto, que continua sendo indecifrável.



sábado, 13 de agosto de 2016

A diferença entre a política e a “politicagem”

A falta de compreensão dessa diferença é que tem definido a postura da maioria do povo brasileiro, uma postura confusa e de escolhas equivocadas e maléficas no contexto político brasileiro. Os eleitores tendenciosos e os candidatos interesseiros que são eleitos é que formam a politicagem que presenciamos nesta crise pela qual passa o Brasil. Examinaremos a grande diferença entre a política e a politicagem.
A palavra política vem da língua grega e significa “o governo da cidade”. Ela tem a ver com “boas maneiras, urbanidade, cavalheirismo, polidez, gentileza, civilidade, benevolência, humildade, acolhimento…”.[1] É o compromisso com a governabilidade e com a gestão eficiente, eficaz, apaixonada e zelosa da cidade. O político autêntico, por vocação e não por vacação, é uma pessoa comprometida com a excelência em governar uma cidade ou legislar com justiça. O político é alguém que está engajado na construção de um projeto de Estado e não simplesmente de um movimento de governo que visa perpetuar-se no poder pelo poder. Ele está interessado no bem da nação, bem como contribuir de forma decisiva para o fortalecimento das instituições do Estado brasileiro. O político é um servo do povo e para o povo. O seu poder emana do povo para servir o povo com equidade, compromisso, amor, empatia, simpatia, respeito e competência. Ele não tem interesses próprios, mas trabalha fielmente para os interesses dos seus eleitores sempre obedecendo a Constituição. Tudo que é possível fazer para facilitar a vida dos cidadãos é do âmbito do político vocacionado para o cargo eletivo ou indicado para um cargo público com base na meritocracia. O político não procura cargos, mas cargas. É uma pessoa comprometida com o trabalho de melhorar a qualidade de vida da população. Ele busca se aprofundar em sua função delegada pelo voto. O político vocacionado é uma pessoa estudiosa, aplicada, disciplinada e determinada nas suas atribuições definidas em lei. Ele veste a camisa do serviço abnegado para beneficiar o cidadão que paga os impostos. O homem público é trabalhador e responsável. Tem consciência da envergadura da missão que recebeu dos eleitores.
A palavra politicagem é uma deformação da política e quer dizer: “corporativismo, espírito de classe, fisiologismo, rabo preso; filosofia sectária, mercantil; mercantilismo, partidarismo, comprometimento, unilateralidade, política de campanário, politiquice, venalidade, chicana, nepotismo, favoritismo, parcialidade, suspeição, sutileza, astúcia, artimanha, desvario, extravagância, desatino, facciosismo, má fé, fanatismo, corrupção, suborno e tráfico de influência”.[2] Estes significados traduzem muito bem a grande maioria que está na gestão pública ou em cargos eletivos. Poderia se dizer o contrário, mas não seria real ou verdadeiro. A politicagem anda solta como um vírus em todo o corpo do Estado brasileiro. As instituições estão cheias de gente politiqueira.  Essa gente está preocupada em levar os cargos na maciota. O politiqueiro, o que pratica a politicagem, está interessado em favorecer a si, sua família e seus apadrinhados. Ele não está preocupado com a meritocracia, mas com os seus interesses meramente pessoais. Quando se fala em político, a lembrança é de egoísmo, egolatria, incompetência, maldade, fisiologismo e alto interesse em benefício próprio. Geralmente o politiqueiro é reacionário. Ele não tem princípios, mas principado. Não tem personalidade, pois o partido é que manda. O politiqueiro não tem coerência. É triste sustentar politiqueiro. Ele custa muito caro aos cidadãos que pagam pesados impostos. Partidos e politiqueiros são ineficientes, perdulários, irresponsáveis com o dinheiro público. Ganham muito para nada fazerem. São como camarões, que vivem nas costas do Brasil. É muito triste e pesado lidar com politiqueiro. Ele sé aparece de quatro em quatro anos. Muitos políticos se elegem pela compra de votos. No exercício dos cargos, geralmente não há prestação de contas.
Os que praticam a politicagem gostam de visitar os pastores e as igrejas. Fazem média. Parecem amigos, mas não são. Os politiqueiros utilizam todos os meios para impressionarem os incautos. Poucos brasileiros são massa crítica. Infelizmente, a maioria não sabe votar, não sabe exercer a cidadania responsável. Os politiqueiros se elegem por causa dos cidadãos irresponsáveis e imaturos, que não pensam e que não têm discernimento.  No ambiente da politicagem muitos se candidatam para elegerem os mais conhecidos e, assim, conseguirem uma boquinha com os que foram eleitos. É a politicagem do apadrinhamento da troca. Uma das cenas mais dantescas é o programa eleitoral nos meios de comunicação de massa. É sofrível ver. Na verdade, causa asco, nojo. Podemos perceber claramente que na politicagem a pessoa se candidata a um emprego e não a uma vocação, a uma missão ou a um compromisso inadiável e inalienável com o povo. Os salários e os benefícios são atraentes. Na politicagem, se possível, emprega-se todos os familiares e agregados.
Nesse tempo tão tumultuado, quando passamos por uma crise profunda, precisamos dizer não, definitivamente não, à politicagem. Precisamos de políticos de caráter. É necessário dizer sim à política séria, comprometida com a verdade, com a integridade, com a governabilidade e com o bem-estar do povo. A política está à serviço da justiça social, distribuição de renda, saúde de qualidade, segurança eficaz e eficiente, educação de excelência e uma consciência profunda de igualdade e fraternidade. O Brasil não avançará enquanto houver politicagem, isto é, nepotismo, corrupção e os outros desmandos. Precisamos eliminar no voto os maus políticos, os que praticam a politicagem. Os partidos são cabides de emprego e não formadores de cidadania e desenvolvimento sustentável. Que Deus nos livre dos politiqueiros e nos dê políticos que amem o Brasil, mas, acima de tudo, amem a Deus, nosso Criador e Redentor, Senhor da História. 

Pr. Oswaldo Luiz Gomes Jacob
Pastor da Segunda Igreja Batista em Barra Mansa – RJ
Colunista deste Portal

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Honrar com os lábios não adianta

Da Adiberj.
( Ilustração)
E ele, respondendo, disse-lhes: Bem profetizou Isaías acerca de vós, hipócritas, como está escrito: Este povo honra-me com os lábios, mas o seu coração está longe de mim; Em vão, porém, me honram, ensinando doutrinas que são mandamentos de homens. (Marcos 7:6,7)
Você já percebeu como as pessoas são capazes de prometer e não cumprir? Já percebeu, também, como as pessoas são capazes de dizer que são o que, na verdade, não são? E quando as pessoas falam de Deus, dizem que são de Deus, cantam hinos, demonstram piedade no que falam mas não têm nada disso no coração? Isso é pior ainda!
Coloque uma coisa na sua cabeça: não há compromisso com Deus apenas através de palavras! Honrar a Deus é coisa séria! Quem escolhe viver para Deus, deverá viver de forma piedosa, de forma diferenciada daqueles que não O conhecem. Viver para Deus é fazer a vontade dele e não a nossa. Viver para Deus causa espanto às pessoas que não sabem o que é isso. Hoje, há muitos religiosos, frequentadores de Igreja, mas poucos cristãos. O interessante é, que no texto citado acima, Jesus estava falando justamente com religiosos, mas de que adianta ser religioso? Segundo Jesus, de nada.
“Hipócritas”: foi este adjetivo que Jesus usou para eles. Eram hipócritas, falsos, porque honravam com os lábios, mas não com o coração. Em nossos dias não é diferente. Hoje, também, muitos religiosos estão espalhados por aí desonrando o nome de Deus através de suas atitudes. São hipócritas, estão com o coração longe do Senhor, não têm entendimento do quanto isso vai lhes acarretar de problemas. Creio que alguns erram por falta de conhecimento, mas outros conhecem bem a verdade, porém agem de acordo com o que querem e não conforme a vontade do Senhor.
Honrar com os lábios é honrar em vão. É um culto que não serve de nada. É até uma afronta ao Senhor. Veja o que diz a Bíblia: “E Jesus disse-lhe: Amarás o Senhor teu Deus de todo o teu coração, e de toda a tua alma, e de todo o teu pensamento” (Mateus 22:37). Deus não quer palavras, Ele quer nossa vida, todo nosso ser voltado para Ele. Deus quer ser honrado pelo nosso interior e, quando isso ocorrer, nossos lábios manifestarão a mudança que Deus fez em nós, não O honraremos em vão, nosso coração estará perto dele e Ele estará conosco.

Wanderson Miranda de Almeida
Membro da Igreja Batista Betel de Italva – RJ

quinta-feira, 30 de junho de 2016

“Lutero não estava errado ao propor a reforma”, afirma Papa Francisco

(Foto: Divulgação)
Durante sua viagem de volta para Roma, o Papa Francisco concedeu uma coletiva onde foi questionado a respeito da Reforma Protestante, dizendo que para a Igreja da época, Lutero não estava errado.
“Acredito que as intenções de Lutero não tenham sido erradas, era um reformador, talvez alguns métodos não foram corretos, mas naquele tempo, se lemos a história do Pastor – um alemão luterano que se converteu e se fez católico – vemos que a Igreja não era precisamente um modelo a imitar: havia corrupção, mundanismo, apego à riqueza e ao poder”, declarou o líder católico que voltava da Armênia.
Francisco afirmou que Lutero era “inteligente” e “deu um passo adiante” dizendo os motivos que o levaram a tomar tais passos. “Hoje protestantes e católicos estamos de acordo na doutrina da justificação: neste ponto tão importante não havia errado. Ele fez um remédio para a Igreja, depois esse remédio se consolidou em um estado de coisas”.
O líder católico, porém, criticou as divisões entre as igrejas propondo uma aproximação. “A diversidade é o que talvez nos fez tanto mal a todos e hoje procuramos o caminho para encontrar-nos depois de 500 anos. Eu acho que o primeiro que devemos fazer é rezar juntos. Depois devemos trabalhar pelos pobres, os refugiados, tantas pessoas sofrendo, e, por fim, que os teólogos estudem juntos procurando… Este é um caminho longo.”
Contudo, o Papa entende que só haverá uma unidade plena depois da volta de Cristo. “Certa vez disse brincando: ‘eu sei quando será o dia da unidade plena, o dia depois da vinda do Senhor’. Não sabemos quando o Espírito Santo fará esta graça. Mas, enquanto isso, devemos trabalhar juntos pela paz”.

Fonte: Gospel Prime/Adiberj

terça-feira, 28 de junho de 2016

Devocional: A Primazia do Amor

“Ainda que eu fale as línguas dos homens e dos anjos, se não tiver amor, serei como o sino que ressoa ou como o prato que retine. Ainda que eu tenha o dom de profecia e saiba todos os mistérios e todo o conhecimento, e tenha uma fé capaz de mover montanhas, mas não tiver amor, nada serei. “Ainda que eu dê aos pobres tudo o que possuo e entregue o meu corpo para ser queimado, mas não tiver amor, nada disso me valerá.” (1 Coríntios 13.1-3)
Se no mundo dos homens o máximo está na capacidade de realização, no Reino de Deus está na capacidade de amar. A realização também é importante, mas não de qualquer forma, não por qualquer razão. No Reino de Deus é preciso amor. É o amor que dá valor a tudo mais. Se não há amor, não tem valor. Enquanto nos dividimos e nos orgulhamos de nossa própria ideia do que seja o sinal, a maior evidência de que estamos manifestando o poder e a presença de Deus, Paulo, de forma simples e direta, declara que tal evidência é o amor. Quando pessoas estão envolvidas com Deus e estão realizando Sua vontade neste mundo, a evidência é o amor.
Não é fácil para nós, que estamos acostumados e fomos treinados no mundo dos homens, seja o secular ou o religioso, aceitar e abraçar essa ideia. Estamos acostumados a construções, a conquistas, a aglomerações, a agitações e coisas assim. Essas grandiosidades próprias do nosso ego, que encantam nossos olhos e impressionam nossas mentes. A simplicidade do Reino de Deus e a centralidade do amor e das pessoas é uma grande quebra de paradigma. O mal entre nós afetou muitas coisas, mas nada foi tão afetado quanto nossa capacidade de amar. Mas Deus veio a nós em Cristo e nos amou. Estendeu a nós sua graça e deseja derrama o seu amor em nossos corações. É assim que redescobriremos a vida.
Não precisamos deixar de realizar, de aprender, de conhecer, de construir, mas não podemos continuar sem amar. E se alguma dessas coisas, em algum momento, conflitar com nosso dever de amar, o amor deve prevalecer, deve ser a nossa escolha. Deus escolheu amar e deseja nos ensinar como fazer isso. Não seremos capazes de viver neste mundo de forma isenta, sem nenhuma falha, mas podemos, apesar de nossas falhas, amar e crescer na capacidade de amar. E está justamente nisso o indicador de nossa estatura espiritual, de nossa maturidade. Portanto, escolha amar. Ame e ore pedindo a Deus que lhe ajude amar. Essa é a maior conquista espiritual da vida cristã.



terça-feira, 21 de junho de 2016

Daniele Duda um milagre de Deus entre nós.

Hoje eu tive uma das maiores alegrias de minha vida, pelo simples fato de abraçar a amiga Daniele Duda, depois de tudo que ela tem passado em sua vida. E por isso posso afirmar que o Deus do impossível opera milagres em qualquer tempo nas nossas vidas.
As belas proezas da vida se faz presente na vida humana, pelo fato de sermos criados por Deus, que conforme as palavras do livro de Gêneses  “ O começo”, no capitulo 1:27 E criou Deus o homem à sua imagem; à imagem de Deus o criou; homem e mulher os criou.
Em um texto do Pr. Marcos Ávila extraído do blog da Igreja Batista Missionária e com base no livro de Lucas 10.1 Que diz “Em Lucas 10.1- Havendo passado estes acontecimentos, o SENHOR nomeou outros setenta e dois; e os enviou de dois em dois, adiante dele, a todas as cidades e lugares que ELE estava prestes a visitar.  Eles retornaram alegres, regozijados para prestarem contas, darem os seus relatórios a Jesus, pois estava acontecendo prodígios e milagres, sinais e maravilhas, o sobrenatural de Deus estava acontecendo no meio deles.
Muitos de nós ainda hoje não entendemos o propósito de Deus para nossa vida, pois acredite, Ele faz o impossível acontecer, permitindo muitas vezes que venhamos a passar por provações e coisas que como homem comum não aceitamos o que acontece com nossas vidas. Pois bem, nossa amiga (Irmã) Daniele Duda, esposa do amigo César Nascimento, é um exemplo vivo do poder de Deus, e não simplesmente de uma religião ou rótulo de igreja, por meio de sua vida se manifesta a Gloria do Deus altíssimo, para que possamos ver o agir do Espírito Santo nos dias atuais, porque muito de nós pesamos que Deus operava milagres só no passado e Ele nos mostra que não há lugar, pessoa ou tempo para que os milagres aconteçam.

Então convicto do poder infalível de Cristo Jesus, posso afirmar que Daniele nasceu novamente e é a ação dos prodígios de Deus em nosso tempo. Daniele Duda, hoje você pode olhar para dentro de sim e falar pra se mesma “ Senhor minhas lagrimas podem até durar uma noite, mas minha alegria vem ao amanhecer”, porque estais de posse de vitória.
Que o Espírito Santo de Deus haja em sua vida conforme o querer dEle para o seu viver, pois só tem o melhor para cada um de nós. Oro ao Senhor Jesus Cristo agradecido por sua vida.

O DEUS DO IMPOSSÍVEL É O DEUS QUE OPERA MILAGRES!

Escrito Por Sérgio Ramos/Diácono - Repórter e Blogueiro – 21/06/2016

Pastor é espancado e preso por causa do “som alto” no culto de sua Igreja

A perseguição religiosa a cristão eclodiu surtos de violência no Paquistão nas últimas semanas, e em um dos casos, um pastor foi espancado por um policial que queria pôr fim ao culto onde ele pregava.
A United Church, em Lahore, foi invadida por policiais, que arrancaram o pastor do púlpito de forma violenta, alegando que haviam sido registradas queixas contra o alto volume do som no templo.
Amir Abdullah, chefe local da polícia na colônia de Fazila, entrou da igreja e iniciou agressões verbais, exigindo que o culto fosse interrompido porque um muçulmano tinha se queixado da forma como o som era usado, de acordo com informações do Christian Post.
Nesse momento, o pastor Riaz Rehmat pediu aos policiais que deixassem os fiéis em paz, Abdullah foi até ele e passou a empurrá-lo e esmurrá-lo.
A atitude do policial virou motivo para um protesto dos cristãos que estavam no culto na rodovia Ferozepur, uma das vias de acesso à colônia. O tráfego ficou bloqueado, o que chamou a atenção da mídia local e internacional para o caso.
Nasir Saeed, diretor do Centro de Assistência Judiciária (CLASS, na sigla em ingês) comentou o episódio e classificou a ação policial como “vergonhosa”. A entidade é sediada no Reino Unido e se dedica a ajudar os cristãos perseguidos no Paquistão. “A polícia quase não se preocupa com os sentimentos dos cristãos e, muitas vezes viola seu direito de liberdade religiosa”, contextualizou.
Uma equipe da CLASS no Paquistão procurou a superintendente da Polícia, Amara Athar, para expressar repúdio e pedir punição aos policiais agressores. Em resposta, Athar afirmou que o chefe Abdullah foi suspenso e será investigado em um inquérito, assim como o muçulmano que fez a acusação contra os cristãos.
Fonte: Adiberj/Com informações do Christian Post


sábado, 11 de junho de 2016

Reflexão: Tá aí no que deu!

Do Blog do Padre Guilherme Gomes (Monsenhor).


(Foto: Ilustrativa)
Nossos políticos se gabam da condição de Estado laico e começam a aprontar. Aliás, eu entendo que eles, na pratica, não entendem bem a expressão constitucional em que se apoiam para fazerem o que bem querem. Com efeito, o que está na lei brasileira é que o Estado é laico apenas na medida em que ele independe de modalidade de credo religioso. Quero dizer: o Estado no seu agir independe de qualquer religião: católica, evangélica protestante, judaica, mulçumana, etc. Nesse sentido e somente nesse sentido é, a meu ver, a condição laica do Estado. Mas o Estado não é e nem pode ser ateu no seu agir. Deus é soberano a todos os governos do mundo. Pois só Ele é a verdade e só Ele tem poder. Portanto Ele tem que ser considerado sempre. Agir de maneira contrária a Ele ou sem o levar em consideração é, como se diz na gíria, quebrar a cara.

É o que está acontecendo na política brasileira que nos deixa muito triste, legislando de absurdo em absurdo acabaram caindo na podridão moral. Eles fizeram tantas asneiras que conseguiram a grande façanha, de hoje, o povo não mais acreditar neles. Para o povo brasileiro, hoje, o político é simplesmente motivo de chacota. Inclusive um dos considerados grandes políticos nacional já chegou a dizer que acha que ainda há uns quatro ou cinco homens sérios no congresso nacional. Inclusive ele mesmo está agora sendo citado nas altas cúpulas como corrupto, e consequentemente, sujeito à investigação por parte da justiça.

Realmente fica muito difícil de acreditar em político sério quando se sabe que o mais sério deles aceita receber um salário que vale mais de trinte e sete vezes o salário do cidadão brasileiro comum. É, veio! Para o cidadão comum ganhar o salário mensal de um homem do congresso nacional ele tem que trabalhar mais de três anos. É só fazer as contas que você percebe. E isto sem contar com os privilégios que chegam a levar o salário dos homens para bem mais de cem mil reais. E não estão nem aí. O governo é laico!


Então o ídolo dinheiro atolou-os bem atolados. Está difícil de sair do atoleiro. Tá aí no que deu!