Deus vai abençoa você

segunda-feira, 30 de maio de 2016

“A verdade dói”. Será?

A sabedoria popular faz parte de nossa cultura, não tem jeito. São vários pensamentos, várias frases, várias ideias que, às vezes, as pessoas citam como se fossem cem por cento verdadeiras, sem margem de erro. Uma das frases diz o seguinte: “A verdade dói”. E eu lanço a pergunta: “Será?”.
A verdade dói quando abrimos os olhos de uma pessoa para seus erros e ela não fica feliz com isso. Há pessoas que se acham as tais, não podem ser contrariadas e, quando mostramos-lhes que estão erradas, ficam “doloridas”, ofendidas, aborrecidas. Essa verdade dói. A verdade dói quando temos que falar com um amigo que ele está errado ou quando temos que ficar contra esse amigo em determinadas situações, porque, independente da amizade, temos compromisso com Deus e com a verdade. O problema é que muita gente acha que um amigo nunca pode ficar contra o outro, mas o amigo verdadeiro não é aquele que fica bajulando seu amigo, sem confrontá-lo. O amigo verdadeiro, às vezes, acabará por ferir seu companheiro: “Leais são as feridas feitas pelo amigo, mas os beijos do inimigo são enganosos” (Provérbios 27:6). Olhando por esse ângulo, a verdade dói. Mas nem sempre é assim.
A verdade não dói quando recebemos elogios verdadeiros. Vai me dizer que você não gosta de receber elogios sinceros? Se você não gosta, eu gosto! No ano passado, tive a oportunidade de palestrar para os alunos do Colégio no qual trabalho, recebi muitos elogios e, dentre eles, o de uma aluna que disse o seguinte: “Professor, durante muito tempo eu vou me lembrar do que o senhor falou aqui hoje!”. Fiquei muito feliz por ouvir isso e por ver nos olhos da aluna que eram palavras verdadeiras.
Poderia citar muitos outros exemplos de quando a verdade dói ou quando não dói, mas vou parar por aqui, lembrando-me de que alguém, ontem, disse-me  assim: “Eu te amo!”. Estas palavras não doeram nem um pouco, antes, deixaram-me muito feliz. É muito bom ouvir essas três palavrinhas de alguém que realmente demonstra que nos ama. Em alguns momentos, a verdade dói; em outros, não.
Fonte: Wanderson Miranda de Almeida/Adiberj
Membro da Igreja Batista Betel de Italva/RJ



sábado, 28 de maio de 2016

Marcha para Satanás fracassa novamente em São Paulo

Com informações do Gospel+
A segunda edição da Marcha Para Satanás, realizada no dia 26 de maio, em São Paulo (SP), foi uma reedição do fracasso da primeira, realizada em janeiro. A expectativa dos organizadores era de reunir uma pequena multidão, pois 7 mil pessoas haviam confirmado presença nas redes sociais, mas o público não passou das dezenas.
O evento, agendado para as 14h00 no vão do Museu de Arte de São Paulo (MASP), na Avenida Paulista, tinha como tema “pedir o suicídio coletivo de Marco Feliciano, Jair Bolsonaro, Eduardo Cunha, Silas Malafaia e toda essa corja cristã que infecta nosso país”.
Porém, com o fracasso de público, a única menção ao evento foi feita por um manifestante, em uma selfie publicada na página do evento nas redes sociais: “7 mil pessoas marcaram presença aqui [no Facebook]… Mas poucos foram… Mas os que foram, fizeram história hoje. Hahaha”, escreveu o usuário Faria Danilo.
Antes do evento, os organizadores pediam que os participantes pintassem pentagramas no corpo com sangue menstrual, para que os rituais fossem feitos durante a marcha, que foi agendada para o mesmo dia e cidade da Marcha Para Jesus, que reuniu três milhões de pessoas, segundo os responsáveis. Além disso, anunciaram que seriam realizadas sessões de automutilação e orgias em público.
Em janeiro, com público ínfimo – mais ainda superior ao de ontem -, os organizadores da Marcha Para Satanás decidiram encerrar o evento antes do previsto, alegando que teriam sofrido ameaças.
À época, Roberto de Lucena (PV), pastor, deputado federal licenciado e secretário estadual de Turismo comentou a situação: “Primeiro, não há nenhuma força espiritual — mesmo que todos os demônios viessem a marchar pelas ruas — que possa impedir o que Deus tem para a Igreja, para a família e para a nação. Segundo, ninguém pode impedir ou fazer algo para obstruir, porque estamos em um país que tem um fundamento democrático, um regime democrático e é um Estado laico”.

Fonte: Adiberj

sexta-feira, 27 de maio de 2016

Jovens dobram os joelhos em oração no pátio da Erem Justa Barbosa de Sales

(Foto: Reprodução Facebook)
Pelo que vimos na foto, percebemos que estes jovens professam a Fé Católica Romana, o que não diminui em nada a nossa alegria em ver tão nobre gesto. Pois; nos dias atuais, encontrarmos jovens buscando á Deus é motivo de agradecer e ora pelas vidas dos mesmos.

A palavra do Senhor Jesus Cristo, nos ensina que chegará o tempo que todo joelho se curvará diante de Deus, e toda língua professará o seu santo nome. E ainda deixa uma advertência para juventude da seguinte forma “Lembra – te do teu criador na tua mocidade, antes que chegue o tempo em que venhas a dizer nele não tenho contentamento”. Eclesiastes 12.1

Lembra – te do teu Criador. Salomão não está sugerindo um mero reconhecimento da pessoa de Deus; usando termos bíblicos vigorosos, ele convoca o homem aos atos adequados que acompanham esse reconhecimento. Por exemplo, quando o Senhor se lembrou de Ana (1 Sm 1.19), Ele fez mais que simplesmente trazê-la à memória; Ele agiu em seu favor, e ela concebeu um filho. Ao lembrarmo-nos dEle, devemos fazê-lo com pensamentos, palavras e ações.

Ainda de acordo com a palavra de Deus, nos ensina que devemos orar em espírito e em verdade, porque Ele Cristo busca os verdadeiros adoradores.

Por mais impossível que pareça de nada vale oramos, rezar ou ir ao templo, seja este católico ou evangélico, se verdadeiramente não procuramos seguir os seus ensinamentos, como por exemplo: Amar o nosso próximo sem falsidade, e quando falo de próximo, me refiro até mesmo os que consideramos por inimigos.

Precisamos praticar a nossa fé, por meio de atitudes, pois a fé sem as obras é morta. As duas precisam estar lado a lado.

Que outros jovens reconheçam a Cristo Jesus com único e suficiente salvador, e que procurem ler a bíblia onde consta a regra de fé e pratica para uma vida em comunhão com Deus e com o irmão.

A graça e a Paz do Senhor Jesus Cristo seja com todos.

Escrito pelo Diácono Sérgio Ramos


terça-feira, 24 de maio de 2016

Céu – Um lugar maravilhoso

Vivemos em um mundo materialista, hedonista. O homem é o centro de tudo. Tudo gira em volta do próprio homem. Buscam os valores aqui da terra e nem por um momento pensam no além.
A grande verdade é que nós estamos aqui de passagem, não iremos morar para sempre na terra. A duração de nossa vida é de 70 anos, alguns chegam a 80 anos, o que passa disso é canseira e enfado diz as Escrituras.
A Bíblia apresenta dois lugares distintos na eternidade, ela fala de céu e inferno. O céu é o lugar dos salvos e o inferno será a habitação dos perdidos, ou seja, os que rejeitaram a Cristo como seu único e suficiente Salvador e Senhor.
Hoje quero falar do céu, aliás, ele é apresentado como um lugar maravilhoso.
Pense em um lugar aqui da terra que você tem desejo de morar, por melhor que seja, não tem comparação com o céu.
O apóstolo Paulo em Filipenses 3.20 diz: “ Pois a nossa pátria está nos céus, de onde também aguardamos o Salvador, o Senhor Jesus Cristo.”
Como será o céu? Apocalipse 21 verso 12 diz: “ Tinha grande e alta muralha, doze portas, e, junto a portas, doze anjos, e, sobre elas, nomes inscritos, que são os nomes das doze tribos dos filhos de Israel.” V.16 “ A cidade é quadrangular, de comprimento e largura iguais. E mediu a cidade com a vara até doze mil estádios. E mediu a cidade com a vara até doze mil estádios. O seu comprimento, largura e altura são iguais.” V.18 “ A estrutura da muralha é de jaspe; também a cidade é de ouro puro, semelhante a vidro límpido. ”
O texto continua dizendo que as doze portas são doze pérolas. A praça da cidade é de ouro puro, como vidro transparente, a cidade não precisa de sol, nem da lua, pois a glória de Deus a iluminou, e o Cordeiro é a sua lâmpada.
Gosto da afirmação de Jesus em João 14.2 que diz: “Na casa de meu Pai há muitas moradas. Se assim não fora, eu vo-lo teria dito. Pois vou preparar-vos lugar.”
O céu é um lugar maravilhoso, você já tem certeza que irá para lá?
Cleverson Pereira do Valle
Bacharel em Teologia pela FTBSP e EST
Pós-graduado em Aconselhamento Bíblico pela FTBC

Fonte: Adiberj


quarta-feira, 18 de maio de 2016

Na semana catador de lixo e no final ele é Pastor

Aos domingos, Ezequiel Gomes acorda às 6h, veste seu terno e exerce a vocação de pastor em sua igreja. Durante a semana, ele enfrenta uma jornada de 15 horas diárias de trabalho como catador de lixo para reciclagem, nas ruas da zona norte de São Paulo.
Ezequiel, de 49 anos, vive numa casa simples do bairro Jardim Brasil, e percorre as ladeiras da Vila Guilherme Alta coletando lixo — mesmo sem ter o braço direito há 11 anos.
Mesmo com sua deficiência, Ezequiel diz carregar até meia tonelada de material, dividida em três carrinhos. “Aprendi a usar cada músculo de meu corpo e a força das coxas e do peito”, disse ele ao jornal Folha de São Paulo. “Faço o serviço que ninguém quer, acho que já acabei com muito foco de dengue”.
Após um acidente com um carrinho de entulho, em 2005, os médicos amputaram o braço do catador. Para ele, o procedimento foi desnecessária e, há nove anos, move ação judicial contra um hospital público da capital.
Ezequiel relata que após idas e vindas às unidades hospitalares, sentindo fortes dores, finalmente recebeu o diagnóstico de que não haveria recuperação. “Fiquei triste, mas logo esqueci a depressão e voltei a trabalhar, com alegria”, afirma.
Há quinze anos na profissão, hoje Ezequiel tem a renda mais alta da família, de nove pessoas. “Não tenho diversão maior do que encher a geladeira de casa”, disse ele, que antes teve carteira assinada como segurança e ajudante de pedreiro.
Ezequiel abraçou a fé em Jesus Cristo após uma juventude marcada por delitos que o levaram à prisão. “Foram drogas e outras bobagens, mas foi preso que conheci a palavra de Deus, a minha missão.”
Com uma renda de cerca de R$ 1.000, ele mobiliou a igreja em que prega, a Assembleia de Deus do Parque Edu Chaves. O catador conseguiu comprar bancos, filtro d’água e até uma bateria para acompanhar o ritmo dos cultos.
Aos domingos, cerca de 40 fiéis ouvem suas mensagens. “Cresci num bairro em que muita gente se desgarrou, mas não podemos ceder à tristeza”, diz o pastor.
Fonte: Adiberj / Com informações da Folha de São Paulo



terça-feira, 10 de maio de 2016

Aluna é impedida de ler Bíblia infantil em tempo livre na escola

Durante o momento de leitura livre, uma aluna da terceira série foi impedida pela professora substituta de ler sua Bíblia infantil, em um colégio norte-americano localizado na cidade de Lancaster, na Pensilvânia.
De acordo com os pais, Brionna, de 9 anos, voltou para casa aos prantos. “Mamãe, a professora me fez guardar a Bíblia”, disse a garota. “O que você quer dizer com isso?”, questionou Audra Palmer, a mãe da criança.
Brionna relatou à mãe que tirou a Bíblia da bolsa para ler durante a leitura livre, depois de finalizar uma tarefa. “A professora estava inspecionando os livros de todos os alunos, e disse a ela para deixar seu livro de lado e ler outro diferente”, disse Audra.
Ao ser procurado pela imprensa local, o superintendente do colégio disse que a situação foi conduzida de forma diferente, indicando que a professora estava fazendo uma leitura em voz alta para os alunos na ocasião.
“A aluna foi convidada a guardar seu livro, enquanto a lição estava acontecendo”, segundo comunicado da escola. “Aconteceu que o livro era a Bíblia. A professora não teve nenhum problema em ver uma aluna lendo a Bíblia durante o tempo de leitura livre”.
Para consolar a criança, Audra assegurou à filha que ela não tinha feito nada de errado, e que não deve ter vergonha de ler a Bíblia. “Nós sempre ensinamos nossos filhos a serem crentes firmes na Bíblia e na nossa fé, e a não se envergonharem disso”, disse a mãe.
Fonte: Adiberj / Com informações do Guiame


sábado, 7 de maio de 2016

Mãe: A beleza de uma mulher

Do Adiberj.org

O mundo avalia a beleza de uma mulher pela sua aparência, por seus predicados corporais. Há uma vitrine nas revistas, internet e TV mostrando mulheres consideradas aquinhoadas, cujos corpos são esculturais. O mundo cultua o corpo sarado, a beleza exterior e o estilismo.  A aparência tem sido ditatorial. A mulher faz tudo o que pode para ficar bela. Mas há uma pergunta e uma resposta em Provérbios que nos deixa mais convictos do que seja a verdadeira beleza de uma mulher: “Mulher virtuosa, quem a achará? Ela vale muito mais do que jóias preciosas” (31.10). A percepção do Senhor por meio de Sua Palavra é o referencial para nós. Deus não vê como o homem. Este olha o exterior, mas o Senhor perscruta o coração.
A mãe deve sempre ser considerada bela, linda, por sua missão a partir do coração. Uma missão dada por Deus por graça e misericórdia. Ser mãe não é sofrer no paraíso, mas esboçar sempre um sorriso como um presente de Deus. Gerar filhos no ventre é uma dádiva do Senhor para a mulher. Não só gerar os filhos, mas criá-los na disciplina do Senhor a partir das Escrituras. Ser mãe é educar os filhos com amor. Ministrá-los no dia a dia. Formar neles o caráter de Cristo. Ensiná-los a amar a Deus sobre todas as coisas e ao próximo como a si mesmos (Mt 22.34-40). A mãe deve ser sempre um exemplo de amor, f´é, afetuosidade, cuidado, integridade, verdade, pureza, firmeza, seriedade, sinceridade. Ela precisa ser o exemplo para o marido e os filhos. Toda mulher sábia (que é bela também) edifica sua casa; a insensata, porém, com as mãos a derruba (Pv 14.1).
A beleza de uma mulher cristã se percebe pelo seu caráter. O seu interior está em perfeita harmonia com Cristo. O seu prazer é o Senhor e na Sua lei ela medita dia e noite (Sl 1.2). A Palavra de Deus é o manual que ela usa para si, para o seu relacionamento conjugal, para educar os seus filhos e testemunhar a sua fé em Cristo Jesus. A sua vida é um livro aberto cuja mensagem é o seu relacionamento com o Pai. Um livro marcado por lágrimas de tristeza e alegria. Escrito com a tinta do sofrimento e do contentamento. Uma linda história de amor. Aqui está a beleza de uma mulher que é mãe. Ela está satisfeita em Deus.
Mãe, hoje se comemora o seu dia! Mas é muito pouco. O seu esposo e os seus filhos devem sempre reconhecer o quanto você é valiosa e bela. O quanto a sua vida é importante para eles! Que a sua presença é uma expressão de alegria e paz. Eles sabem que você ouve mais e fala menos. Que aconselha com sabedoria e ternura; graça e poder; piedade e franqueza; amor e prudência. Mãe, a bela mulher que nos encanta e nos faz cantar com uma nota muito forte de gratidão a Deus. Receba, especialmente neste dia, o nosso reconhecimento de que ser mãe é privilégio e honra, sendo, acima de tudo, para a glória de Deus!
Pr. Oswaldo Luiz Gomes Jacob 
Pastor da Segunda Igreja Batista em Barra Mansa – RJ
Colunista deste Portal
pitzerjacob@gmail.com



segunda-feira, 2 de maio de 2016

Por que há pessoas maldosas em nossas Igrejas?

Esta pergunta não é difícil de responder. Por que razão? Jesus foi claro em dizer que há joio no meio do trigo. Infelizmente há pessoas em nossas igrejas que não são convertidas. Não experimentaram o novo nascimento, a conversão genuína ou a regeneração operada pelo Espírito Santo. Não dão fruto. Essas pessoas são ácidas, sem empatia, criadoras de confusão, maledicentes, traidoras, hipócritas, sem afeição natural, críticas ferinas, dissimuladas e despidas de qualquer temor a Deus. Elas têm aparência de piedade, mas negam a sua eficácia ou o seu poder. Há lideres assim também. Aproveitadores, desonestos, mentirosos, dissimulados e que se utilizam de politicagem para agradarem-se a si mesmos. São populares e querem ficar bem com todos.
A maldade na igreja é fruto da natureza humana, de Adão, que contamina o ambiente, os relacionamentos. Paulo encontrou gente assim em Corinto, Colossos e na Galácia. Escrevendo a Timóteo, na sua segunda carta, ele faz um diagnóstico que, certamente, incluiu os que estavam dentro das igrejas: “os homens amarão a si mesmos, serão gananciosos, arrogantes, presunçosos, blasfemos, desobedientes aos pais, ingratos, ímpios, sem afeição natural, incapazes de perdoar, caluniadores, descontrolados, cruéis, inimigos do bem, traidores, inconsequentes, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, com aparência de religiosidade ou piedade, mas rejeitando-lhe o poder” (3.1-5). Há pessoas nas igrejas com essas características. É triste dizer isso, mas é a pura verdade.
Em nossas igrejas acontecem coisas do arco da velha. Costumo dizer que pior do que um incrédulo é um que se diz crente, mas age como ímpio ou incrédulo. Paulo sofreu muito com esse tipo de gente. Diria sem medo de errar: são poucos os membros de igreja sinceros, autênticos, coerentes e santos. Vivemos um tempo de muita profanidade em nossas comunidades eclesiásticas. Há muita imoralidade entre os líderes e liderados. Quando falo de imoralidade, me refiro a conversas indecentes, especialmente. Líderes que vivem contando piadas das mais variadas, de todos os tipos e inimagináveis não recomendadas para um cristão.
Devemos pedir misericórdia a Deus por nossa incoerência e concessões.

Nós, líderes, pastores, chamados pelo Senhor por Sua graça e misericórdia, devemos fazer leituras frequentes do Sermão do Monte, bem como das cartas paulinas, joaninas e petrinas. Devemos pedir misericórdia a Deus por nossa incoerência e concessões. Temos sido encontrados em falta. As Escrituras e a oração têm sido substituídas pela administração eclesiástica e posturas pragmáticas. Muitos líderes têm tocado obras, prejudicando o cuidado de vidas preciosas. Como homens comuns chamados para um trabalho extraordinário, precisamos combater veementemente o pecado, a imoralidade e toda sorte de erro dentro do Corpo de Cristo. Mesmo que soframos retaliações, prossigamos com os princípios das Escrituras, com a bandeira da reforma apartir dos ensinos do Senhor Jesus. O que mais precisamos não é de um choque de gestão, mas de um choque de santificação, de moralidade bíblica. Urge que busquemos a santificação, sem a qual ninguém verá o Senhor (Hb 12.14).
Voltemos à indagação: Por que há tantas pessoas maldosas, ruins, dissimuladas em nossas comunidades? Por causa da natureza de serpente, herdada da rebelião de Adão. Jesus fez um corretíssimo diagnóstico do coração do homem em Mateus 15.19, 20: Porque do coração é que saem os maus pensamentos, homicídios, adultérios, imoralidade sexual, furtos, falsos testemunhos e calúnias. São essas coisas que tornam o homem impuro. A gênese da maldade está em Romanos 5.12: “Portanto, assim como o pecado entrou no mundo por um só homem, e pelo pecado, a morte, assim também a morte passou a todos os homens, pois todos pecaram”.  A Revelação de Deus é precisa.
Como podemos combater essa maldade sistêmica? A única maneira é apresentar a suficiência de Cristo para o coração perverso e desesperadamente corrupto do homem. A suficiência de Cristo para a insuficiência da religião. O Senhor Jesus Cristo se manifestou para destruir as obras do diabo (1 João 3.8). Somente vivendo o evangelho genuíno é que podemos combater a maldade dentro de nossas igrejas. Examinando nossas vidas e intercedendo por aqueles que envergonham o Reino de Deus. Sejamos instrumentos de transformação. Exemplos da dignidade de Cristo Jesus. Que as pessoas vejam Cristo Jesus em nosso viver diário. Ajamos com a bondade de Cristo. Não julguemos as pessoas, mas demonstremos amor, misericórdia, graça e o perdão de Cristo, nosso Senhor! Vivamos para a glória de Deus, combatendo a maldade dentro do Corpo de Cristo, Aquele que derramou o Seu precioso sangue por nós para que vivamos uma vida santa em todo o nosso procedimento.
Pr. Oswaldo Luiz Gomes Jacob 
Pastor da Segunda Igreja Batista em Barra Mansa – RJ
Colunista deste Portal

Fonte: Adiberj