Deus vai abençoa você

quinta-feira, 21 de março de 2019

‘A ciência não mata Deus’, afirma físico brasileiro

Marcelo Gleiser

O prêmio Templeton, que recompensa a cada ano uma personalidade que explora “a dimensão espiritual da vida”, foi concedido nesta terça-feira (19) ao físico teórico brasileiro Marcelo Gleiser, que se esforça para mostrar que a ciência e a religião não são inimigas.
O professor de Física e Astronomia, especializado em Cosmologia, nascido no Rio de Janeiro há 60 anos e que mora desde 1986 nos Estados Unidos, não acredita em Deus. Ele é agnóstico.
“O ateísmo é inconsistente com o método científico”, afirmou Gleiser à AFP na segunda-feira no Dartmouth College da Universidade de New Hampshire, onde é professor desde 1991.
“O ateísmo é uma crença na não-crença. Então você nega categoricamente algo contra o qual você não tem provas”, acrescentou.
“Mantenho a mente aberta, porque entendo que o conhecimento humano é limitado”, completa o cientista.
O prêmio Templeton é financiado pela fundação do falecido John Templeton, um americano presbiteriano que fez fortuna em Wall Street. Dotado com 1,1 milhão de libras esterlinas (quase 1,5 milhão de dólares, 50% a mais que o Nobel), já foi recebido desde 1973 por Desmond Tutu, o Dalai Lama, filósofos, outros astrofísicos, Alexander Solzhenitsyn, entre outros.
Com cinco livros em inglês e centenas de artigos em blogs e na imprensa dos Estados Unidos e do Brasil, Gleiser explica de que maneira ciência e religião estão direcionadas para responder perguntas muito similares sobre a origem do universo e da vida.
“A primeira coisa que você lê na Bíblia é uma história da criação”, afirma. Judeus, cristãos, muçulmanos: independentemente da religião, “todos querem saber como o mundo surgiu”.
Esta curiosidade fundamental, científica ou religiosa, leva, sem dúvida, a respostas diferentes. O método científico é feito de hipóteses refutáveis, o que não acontece com as religiões.
“A ciência pode dar respostas a certas questões, até um certo ponto”. O que são o tempo, a matéria, a energia? As respostas científicas são válidas apenas em um âmbito teórico.
“Este é um problema conhecido na filosofia por muito tempo, chamado de problema de primeira causa: ficamos presos”, afirma Gleiser, pai de cinco filhos.“Devemos ter a humildade para aceitar que estamos cercados de mistério”.
“Arrogância” científica
Gleiser já escreveu sobre mudança climática, Einstein, furacões, buracos negros, a consciência… Seu credo é rastrear os vínculos entre a ciência e as humanidades, incluindo a filosofia.
O que ele pensa dos que acreditam que a Terra foi criada em sete dias?
“Eles consideram a ciência como o inimigo, porque têm um modo muito antiquado de pensar sobre ciência e religião, no qual todos os cientistas tentam matar Deus”, disse.
Gleiser lamenta que os “novos ateus” tenham ampliado a distância com a religião, especialmente o cientista britânico Richard Dawkins (que pediu a prisão do papa Bento XVI pelos casos de pedofilia na Igreja católica), ou o falecido jornalista Christopher Hitchens, que criticava a Madre Teresa (a primeira a receber o prêmio Templeton).
Para Gleiser, que cresceu na comunidade judaica do Rio de Janeiro, a religião não é apenas a crença em Deus: dá um senso de identidade e comunidade.
“É extremamente arrogante para os cientistas descer de suas torres de marfim para fazer estas declarações sem compreender a importância social dos sistemas de crenças”, opina.
“Quando você ouve cientistas muito famosos fazendo declarações como… a cosmologia explicou a origem do universo e de tudo, e nós não precisamos mais de Deus. Isso é um completo nonsense”, acrescenta.
“Porque nós não explicamos a origem do universo em absoluto”, conclui.
Fonte: AFP via IstoÉ

sábado, 16 de março de 2019

Projeto de Lei quer tornar obrigatória a leitura da Bíblia no início das aulas


Do Adiberj/Com informações do Gospel Prime.

O vereador de Balneário Camboriú Omar Tomalih (PSB) apresentou um projeto de lei que visa tornar obrigatória a leitura de trechos da Bíblia antes do início das aulas em escolas municipais.
A Procuradoria do legislativo municipal e a Comissão de Constituição de Justiça (CCJ) da Casa deram parecer favorável ao texto que seguiu para a votação em plenário, ainda sem data marcada.
Ao justificar seu projeto, Omar diz que a “Bíblia é um manual que está em mais de 90% dos lares brasileiros, onde ela prega valores, princípios e bons costumes”.
Segundo ele, a leitura do Livro Sagrado para os cristãos não é pregar religião. “Nós queremos que seja criada uma nova geração, baseada nesses valores e nesses princípios”.
Mas entre seus próprios colegas de partido a proposta é rejeitada, tanto que o vereador Lucas Gottardo (PSB) apresentou um projeto para substituir a leitura da Bíblia pela leitura da Constituição Federal.


sexta-feira, 15 de março de 2019

A propósito de Suzano.

(Foto: Reprodução)

Direto ao assunto: Você acha que se aqueles matadores tivessem amor a Deus fossem pessoas convertidas a Jesus, teriam feito o que fizeram? De jeito nenhum, tenho certeza.

     O ocorrido nos aponta para o fato de que arma na mão do povo é algo extremamente preocupante. Não seria o caso de o presidente repensar o tema da liberação de arma na mão do povo e partir para outra opção mais viável e humana? Por exemplo: mudar o sistema penitenciário para, em vez de repressivo, castigador, ser um sistema educativo, libertador? E, simultaneamente a essa medida entrar em acordo com a CNBB e outras lideranças religiosas para a realização de uma educação cívica, religiosa, eficaz e profunda? Sinto que este é o caminho para termos um povo rico e feliz.

Ninguém se engane: sem Deus, sem uma verdadeira conversão não tem jeito que dê jeito.

     “Sem mim, nada podeis fazer”  (Jo 15,1). Não adianta teimar! Governo e Igreja têm que trabalhar juntos e trabalhar com mútuo respeito e vontade sincera de acertar. Na justiça e no amor teremos a tão desejada Paz (Is 32,17).

Texto do Monsenhor Guilherme Gomes da Silva.

7º Encontro dos Adoradores do Rei Acontece em Surubim


Do Noticia Agora.


A igreja Missionaria Adoradores do Rei realiza neste sábado (16) e domingo (17) o 7º Encontro dos Adoradores do Rei na cidade de Surubim.

A festa acontece no templo da igreja localizada na vila de Jacó próximo a PE 90 a partir das 19h. Este ano o tema da festividade é: Porque a palavra da cruz é loucura para os que perecem: mas para nós que somos salvos é o poder de Deus. 1º Coríntios 1.18.

Participam do evento o ministério chamados a adorar, mulheres missionarias cristãs, pérolas divinas e jovens reflexo de cristo e ainda caravanas de outras igrejas da região.

No sábado pregando a palavra de deus pastor Wagner Frazão da Igreja Batista doze colunas e no domingo a ministração da palavra fica por conta do pastor José Emídio. Todos estão sendo convidados para este momento especial de adoração a Deus promovido pela Igreja Missionaria Adoradores do Rei.

terça-feira, 12 de março de 2019

Os filhos de Deus e o mundo


“Vejam como é grande o amor que o Pai nos concedeu: que fôssemos chamados filhos de Deus, o que de fato somos! Por isso o mundo não nos conhece, porque não o conheceu.” (1 João 3.1)
Por isso o mundo não nos conhece, porque não o conheceu. É o que João escreveu. O que ele teria pretendido dizer com isso? As vezes habita o coração e é demonstrado na atitude do crente, uma certo distanciamento dos outros. Em conversas e pregações dentro do círculo crente (tomo o termo “crente” para significar nós, evangélicos), é frequente uma referência ao mundo e aos do mundo num sentido de distinção e distância. Creio que o significado de João envolva a ideia de diferença. Há uma diferença entre os que creem e experimentam o grande amor de Deus e os que ainda não o fizeram.  Os escritores bíblicos afirmam que essa experiência torna-nos filhos de Deus, há uma nova vida, novas perspectivas e possibilidades. Nesse sentido, nem todos são filhos de Deus, pois nem todos creem e experimentam o grande amor de Deus.
O que cria essa distinção entre “filhos de Deus” e “o mundo”, não é a seleção dos melhores e desprezo dos piores. Também não se trata dos que merecem e dos que não merecem. Os “filhos de Deus” também são pecadores e neles não há méritos algum. Não há impedimento e nem um limite de vagas, de modo que nem todos possam ser “filhos de Deus”. Talvez ainda não sejam porque ainda não entenderam essa possibilidade, ainda não ouviram ou não deram ouvidos à proposta do Evangelho de Jesus. João diz que os que são do mundo não conhecem os filhos de Deus, pois não conhecem aquele que torna pecadores em filhos de Deus. Diante disso, qual a responsabilidade dos que são chamados filhos de Deus? Muitas. Se você é filho de Deus, se já foi envolvido pelo grande amor de Deus, tem responsabilidades para com o mundo.
Você tem a responsabilidade de demonstrar e testemunhar a todos, ainda que não seja compreendido, o maravilhoso amor de Deus. Tem a responsabilidade de não discriminar, rejeitar ou afastar-se, como se fosse “o especial” e “santo” desviando-se dos “comuns” e “pecadores”. O mundo não conhece os filhos de Deus porque não conhece o amor que os tornou filhos. Mas todos os filhos de Deus conhecem o mundo, sabe o que significa viver sem o amor de Deus. Seja por experiência, seja por inferência. O mundo não pode compreender o filho de Deus, mas o filho de Deus pode compreender o mundo. E aí está sua responsabilidade: ser luz e sal em meio ao mundo (Mt 5.13-14). Veja, se você conhece a graça e o amor de Deus, se foi perdoado e tem esperança eterna, tudo resulta do grandioso amor de Deus. Não haja como se fosse melhor ou superior. Não haja como  um presunçoso religioso. Haja como um pecador agradecido. Partilhe com outros o amor que tem mudado sua vida! Ajude outros a conhecem o que ainda não conhecem!


sábado, 9 de março de 2019

Surubim: Assembleia de Deus do Planalto realiza celebrações especiais neste final de semana


Do NoticiaAgora.
(Reprodução/Divulgação)
A Igreja Evangélica Assembleia de Deus em Surubim realiza neste sábado (09) e domingo (10) cultos especiais de adoração a Deus na congregação do Bairro Planalto.

No sábado a celebração começa às 19h e conta com o grande coral de jovens da igreja e grupos de louvor locais. Também participa do momento a cantora Salete Silva e ministrando a Palavra de Deus o Auxiliar Júnior Alves.

Já no domingo o culto começa às 19h e também participam o grande coral de jovens, a cantora Salete Silva e o cantor Anderson. Pregando a Palavra de Deus o Presbítero Israel do Recife.

O culto do domingo que é realizado no Templo Matriz localizado na Avenida São Sebastião foi transferido para o templo do Bairro Planalto devido o Desfile de Carnaval da cidade.

Todos estão sendo convidados para participar do encontro religioso, sendo esta uma ótima oportunidade para quem não participa das festas carnavalescas do município.

A Assembleia de Deus em Surubim tem a direção geral do Pastor Ailton José Alves e a coordenação local do pastor Amaro Januário. No Planalto a Congregação é supervisionada pelo Presbítero Antoniel Gomes.

Por Sérgio Ramos/Radialista e Blogueiro – 09/03/2019

quarta-feira, 6 de março de 2019

Convenção do Maranhão proíbe pregadores e cantores de ministrar em outras igrejas


Blog do Cleiton Albino.

(Reprodução/Divulgação)

Convenção dos Ministros das Igrejas Evangélicas Assembleias de Deus no Maranhão (COMADESMA) tomou uma decisão polêmica no final de fevereiro: restringir a saída de pregadores e cantores de seu quadro para ministrarem em outras igrejas. A decisão foi assinada pelo pastor presidente, o deputado José Alves Cavalcante.


Na “Nota informativa” enviada às igrejas e líderes da Convenção, assinada dia 28 de fevereiro, a recomendação é de que os obreiros, líderes e igrejas, ligadas à convenção, em hipótese alguma, devem “apoiar trabalhos divergentes ou dissidentes da Comadesma.”


Em caso de descumprimento da norma, os responsáveis serão punidos: “os obreiros ou membros que apoiarem tais trabalhos, estarão impedidos de exercer ministério (cantar ou pregar) nas Igrejas Evangélicas Assembleias de Deus Comadesma.”


A nota frisa ainda que em se tratando de ministro a pena será maior, conforme reza o estatuto.


O motivo da decisão da Comadesma ainda é desconhecido.

Leia a nota abaixo que enviada ao Plantão Gospel.


Críticas 

Na internet, evangélicos criticaram a decisão da Convenção.

“Meu Deus até que ponto vai chegar essas decisões absurdas”, disse um.

“O excelentíssimo Senhor Deputado Estadual, esqueceu-se que na próxima eleição vai precisar novamente das outras igrejas para o colocá-lo novamente em São Luis. Aí está liberado tudo com “AR”. Pregar, cantar, profetizar, ofertar, dizimar e até 
VOTAR”


“Fundamentado em qual livro da bíblia mesmo? só para saber!”, questionou outro fiel.


”É só cercar o ministério COMADESMA, NÃO SE VAI E NÃO SE VEM.”, sugestionou mais um, criticando a decisão.