sábado, 22 de novembro de 2014

Nunca Desista; Deus está Sempre Com Você.

(Imagem Ilustrativa)
São tantas as situações do dia a dia, que nos deixa na maioria das vezes abatidos e pensando que tudo está perdido, mas vamos pensar com a mente da fé, Deus nos colocou aqui para uma missão, e cada um tem a sua, mas para isso precisamos muitas vezes descobrir nas dificuldades, o que realmente o Senhor Jesus Cristo, planejou para nós.

Sabemos que em determinados momentos de desespero, chegamos até a fazer alguns questionamentos, que não devia ser feitos, e sim acreditar que sempre iremos vencer por maior que sejam às dificuldades, quantos de nós não já se perguntou em um momento de aflição “ Me Deus, porque eu ainda estou vivendo, me leva deste mundo” eu prefiro morrer a ficar sofrendo, este um dos maiores erros que cometemos por falta de conhecimento do Deus vivo e da comunhão honesta e verdadeira com Cristo.

 Portanto, antes de falar qualquer busque forças no espírito santo, pedindo orientação sobre sua vida, pois nem sempre o que sai da boca do homem vem de Deus, e isto não acontece só com pessoas leigas não, acontece também com padres, pastores evangélicos e muitos outros religiosos, então muito cuidado, quando estives em momentos turbulentos, e nunca desista, pois Deus é contigo e não vai permitir que você faça o que não deve, mas para isso é preciso que sejamos convictos do amor de Cristo Jesus por nossas vidas.

A palavra de Deus ensina que devemos ter fé, pois a fé cura, liberta, salva, transforma e muito mais, porém a fé deve ser verdadeiramente em Cristo, porém a palavra do Senhor nos mostra que a fé sem obras é morta,.

Portanto de nada vale você dizer eu tenho fé e ficar de braços cruzados esperando às coisas acontecerem, você precisa agir e só assim tudo pode mudar em sua vida, pense nisto e nunca desista principalmente de viver.


Por Diácono Sérgio Ramos

quarta-feira, 12 de novembro de 2014

“Evangelho perdido”: Livro diz que Jesus se casou e teve dois filhos com Maria Madalena

Um novo livro afirma Jesus casou com Maria Madalena, 
uma teoria que também é abordado no filme: 
A Última Tentação de Cristo
Jesus foi casado com Maria Madalena e um pai dedicado de dois filhos! É o que defende um novo livro lançado na Inglaterra esta semana, que traz a tradução de um antigo manuscrito que foi batizado de “Evangelho Perdido de Jesus”.

O texto escrito em aramaico tem cerca de 1.500 anos de idade, revelando detalhes da vida de Jesus cerca de 13 anos antes da sua crucificação. Entre os dados curiosos está que Maria Madalena era a mesma pessoa que a Virgem Maria.

Embora pareça obra de ficção, o livro The Lost Gospel, foi escrito pelo professor Barrie Wilson, que leciona Estudos Religiosos na York University de Toronto, e o escritor e cineasta Simcha Jacobovic. No dia 12, quando será oficialmente lançado, eles prometeram revelar os nomes dos dois filhos de Cristo e Maria Madalena.

O material traz relatos como uma tentativa de assassinato contra Maria e os filhos, além das conexões políticas de Jesus com o imperador Tibério e um soldado influente chamado Sejano. Mais detalhes serão mostrados à imprensa na conferência realizada esta quarta na Biblioteca Britânica. O local foi escolhido por que após ser comprado pelo Museu Britânico em 1847, acabou sendo enviado para a Biblioteca Britânica 20 anos atrás, onde foi “descoberto” pelos autores.

Wilson e Jacobovic passaram meses traduzindo o texto, que recebe severas críticas de especialistas. Sua autenticidade foi questionada, bem como sua precisão histórica. Este não é o primeiro registro a afirmar que Jesus se casou com Maria Madalena. Desde o sucesso do livro e filme ficcional “O Código Da Vinci”, de Dan Brown, na década passada, o assunto teve seu interesse renovado.

O “Evangelho Perdido” possui 29 capítulos e seria uma cópia produzida no sexto século de um original redigido no primeiro século. Os tradutores afirmam que o relato do casamento é feito por meio de uma história codificada, recontando o que seria o casamento do personagem do Antigo Testamento José e sua esposa egípcia Aseneth. Esses seriam codinomes para Jesus e Maria Madalena.

Em 2012, um fragmento de papiro egípcio escrito em copta com conteúdo similar foi descoberto. Contudo, os resultados do teste de datação reforçaram a probabilidade de ser fraudulento, segundo o Vaticano.

Mostrado ao mundo por Karen King, pesquisadora da renomada Universidade Harvard, ele teria sido escrito no século IV, mas provavelmente é apenas a cópia de um texto anterior, datado de 150 d.C.

Esse tipo de “nova revelação” sobre a figura de Jesus surgiu repetidas vezes ao longo da história em livros “apócrifos”. Entre os mais famosos são evangelhos atribuídos a Maria Madalena e aos apóstolos Tomé e Judas. Contudo, embora falem sobre a vida de Jesus de modo divergente dos Evangelhos do Novo Testamento, não mencionam uma esposa e tampouco filhos de Jesus.

Greg Carey , professor de Novo Testamento do Seminário Teológico de Lancaster, escreveu um longo artigo rebatendo as afirmações especialmente por que Simcha Jacobovici já tentou outras vezes contrariar o relato das Escrituras, apresentando ao mundo um “túmulo de Jesus” que mais tarde provaria ser uma fraude. O pastor e teólogo Alessandro Brito, que estudou na Inglaterra com o Dr. Pieter Lallaman, diz que esse assunto é antigo, não passando de “ficção e enredos de romance”.

Fonte: ADIBERJ/Com informações Daily Mail e The Sunday Times


domingo, 2 de novembro de 2014

Dia de Finados: Uma Reflexão Sobre o Morto Vivo

(Foto Meramente Ilustrativa)
Morto vivo é uma palavra bastante conhecida em blocos carnavalescos, e também quando se refere a alguém que se faz de morto para enganar ou levar vantagem sobre outras pessoas.

Porém não é sobre este tipo de morto, que levarei para todos nós uma breve reflexão, então começo a discorrer da seguinte maneira, hoje muitos estão indo aos cemitérios levar flores e velas aos túmulos dos seus entes queridos, os quais já partiram desta vida, e isto merece todo o nosso respeito.

Muito bem, dito isto, pense comigo; Quantas pessoas estão entre nós andando vivos em corpo, mas mortos em espírito?,  se não vejamos vários aspectos que fazer o homem morrer mesmo estando vivo, muitos de nós cometemos o erro de sermos prioritariamente ambiciosos, buscando bens matérias, posições sociais e por ai vai.

Esquecendo-se  do mais importante para nossas vidas, assim como diz a bíblia “Buscai primeiro às coisas que vem do Alto”, mas infelizmente não temos levado a sério esse alerta que nos é dado por Cristo Jesus, por meio de sua palavra. Muitos dos que vivem em meio à humanidade tem menosprezado o seu semelhante, chegando ao ponto de passar por cima da moral e da ética, apenas para se dá bem na vida material, essas atitudes matam muita gente, pense nisso, pois Deus criou a cada um de nós para vivemos em comunidade, mas, o que se ver, são pessoas orgulhosas e o mínimo de amor para com outro, portanto, podemos a estes chamar de vivos mortos.

Agora veja o que a bíblia nos ensina sobre a morte e o julgamento:

Nascemos, vivemos e morremos. E depois? Esta pergunta tem desafiado a humanidade através da História do Mundo. Nosso entendimento do que acontece após a morte influenciará muito a maneira pela qual vivemos. Para aqueles que procuram agradar a Deus, é importante saber o que ele revelou sobre este assunto. Só por um estudo da Bíblia podemos evitar os perigosos erros da sabedoria humana.

O que é a morte? O que acontecerá depois que morrermos? A Bíblia responde a essas perguntas.

O que é a morte?

A morte é uma separação. Podemos entender este fato claramente, considerando como a Bíblia descreve a morte espiritual. Comecemos no livro de Gênesis, onde encontramos pela primeira vez o conceito de morte.

Quando Deus disse a Adão que não comesse da árvore do conhecimento do bem e do mal, ele revelou que a consequência da desobediência seria a morte no mesmo dia do pecado (Gênesis 2:17). Com certeza, Deus cumpriu sua promessa sobre a consequência do pecado, porque ele sempre fala a verdade e nunca quebra uma promessa. Por causa do pecado do casal original, Deus expulsou-os do Jardim do Éden (Gênesis 3:23-24). Mesmo tendo Adão vivido, em seu corpo físico, por 930 anos, ele e sua esposa morreram no dia de seu pecado, no sentido de que eles foram separados de Deus. A morte espiritual é a separação de Deus.

O caso de Adão e Eva nos ajuda a entender que é possível estar fisicamente vivo, enquanto morto espiritualmente (veja Efésios 2:1-6, por exemplo). A razão para esta morte espiritual esta separação de Deus é sempre a mesma. Separamo-nos de Deus pelo nosso próprio pecado (Isaías 59:1-2).

A morte física também é uma separação. Quando o corpo está separado do espírito, ele está morto (Tiago 2:26). Eclesiastes 12:7 nos diz que isto é o que acontece no fim da vida física: “O pó volte à terra, como o era, e o espírito volte a Deus, que o deu”.

O que acontecerá após a minha morte?

É claro que o espírito voltará a Deus, mas o que ele fará com meu espírito? Mesmo que a Bíblia possa não satisfazer toda a nossa curiosidade sobre o que acontece depois da morte, ela é clara ao apresentar diversos fatos vitais:

Deus confortará o fiel e mandará o ímpio para um lugar de tormento (Lucas 16:25).

Deus julgará cada pessoa (Hebreus 9:27). Este julgamento será de acordo com a palavra que Deus revelou através de seu Filho (João 12:48). Ele julgará as coisas que fizemos em corpo (2 Coríntios 5:10). Passagens como Mateus 25:31-46 e 2 Tessalonicenses 1:7-12 mostram claramente que haverá uma eterna separação (morte espiritual) entre os justos (obedientes) e os injustos (desobedientes).

Podemos concluir, então, que a morte eterna não é o fim da existência, mas uma eterna separação de Deus. É óbvio no caso do homem rico, porém desobediente, em Lucas 16 que uma pessoa ainda estará consciente, mas que o injusto nunca poderá atravessar a separação para estar na presença de Deus.

Infelizmente, há muitas doutrinas conflitantes sobre a morte e a eternidade. Consideremos, brevemente, quatro exemplos de doutrinas humanas que contradizem o ensinamento da Bíblia.

Doutrina humana: A morte é o fim da existência

As pessoas que não acreditam na existência de Deus, obviamente, negam a ideia de vida após a morte. Outros, mesmo entre aqueles que se proclamam seguidores de Jesus, ensinam que os injustos deixarão de existir, quando morrerem. Em contraste, Jesus claramente ensinou que a existência não cessa com a morte (Mateus 22:31-32; Lucas 16:19-31). O problema fundamental nesta doutrina humana que diz que a existência cessa com a morte, é o erro de não entender que a morte é uma separação, e não o fim da existência da pessoa (veja Tiago 2:26). Algumas igrejas, seguindo doutrinas de homens, negam a existência do inferno, mas a Bíblia mostra que todos serão julgados e separados, os justos para a vida eterna e os ímpios para o castigo eternamente, separados de Deus para sempre (João 5:28-29; Mateus 25:41,46).


Por Sérgio Ramos/Diácono

quinta-feira, 23 de outubro de 2014

Os templos estão cheios de Igrejas Sepulcros Caídos

(Imagem Ilustrativa)
Começo a relatar essa breve reflexão após um bom tempo em oração direcionada ao Senhor Jesus Cristo, pedindo orientação do espírito santo para que ele esteja pondo palavras em minha mente.

O meu coração como simples servo de Deus está entristecido, pois infelizmente o que tenho visto nos últimos dias, são templos os quais muitos chamam de igreja, quando na verdade igreja é cada um de nós,porque a bíblia que é palavra de Deus ensina que o nosso corpo e a moradia do Senhor Jesus Cristo, e assim sendo, somos nós a igreja, em não o lugar onde nos encontramos para nossos momentos de culto.

Mas falando sobre o motivo de minha tristeza, lhe digo, é vê os templos sejam eles católicos romanos ou evangélicos repletos de igrejas sepulcros caídos, o que tento dizer com estas palavras; A maioria das pessoas que lotam os templos, infelizmente não vão  buscar a comunhão com Cristo, pois por qualquer motivo buscam denegrir a imagem do seu irmão ou irmã, enquanto dizem “SENHOR EU VÓS ADORO” ou “A PAZ DO SENHOR”, e usam com frequência a palavra Amai o Próximo como a ti mesmo, e na verdade essas palavras sai apenas da boca para fora, igualmente aos Fariseus, Hipócritas e Escribas, que limpa o exterior do corpo, mas o interior está como os sepulcros caídos, belo por fora, mas por dentro estão cheios de ossos de mortos e de imundícia (podre).

Talvez muitos que estejam lendo neste momento, discorde do que estou falando, eu respeito, mais reafirmo que todos nós, precisamos constantemente fazer uma avaliação sobre o que realmente é ser um cristão, e qual o seu papel como cristão.

Lamentavelmente, ouvimos pessoas se dizer um religioso fervoroso, de muitas rezas e orações, porém na prática são pessoas que só estão visando o seu próprio umbigo, onde pelo contrario, a palavra de Deus nos ensina em Mateus 23-12 E o que a si mesmo se exaltar será humilhado; e o que a si mesmo se humilhar será exaltado.

Pense nisto e não busque ser um cristão verdadeiro, e não apenas de lábios.

Todas as coisas, pois, que vos disserem que observeis, observai-as e fazei-as; mas não procedais em conformidade com as suas obras, porque dizem e não fazem;
Pois atam fardos pesados e difíceis de suportar, e os põem aos ombros dos homens; eles, porém, nem com seu dedo querem movê-los;


E fazem todas as obras a fim de serem vistos pelos homens; pois trazem largos filactérios,

e alargam as franjas das suas vestes,

E amam os primeiros lugares nas ceias e as primeiras cadeiras nas sinagogas,





Por Sérgio Ramos/Diácono 

quarta-feira, 30 de julho de 2014

A Bíblia condena o preguiçoso?

A preguiça é um mal social. O pregui­çoso é um desajustado na sociedade. O de­samor ao trabalho só se justifica por doen­ça grave que tire da pessoa o desejo de trabalhar. Fora desse caso é reprovável. Jesus disse: “Meu Pai trabalha até agora, e eu trabalho também”, Jo 5.17.

A Bíblia con­tém vinte referências a respeito do pregui­çoso e da preguiça, e sempre se refere a isso censurando, condenando, aconselhando. É no livro de Provérbios que encontramos: “Vai ter com a formiga, ó preguiçoso, olha para os seus caminhos e sé sábio” (6.6); “ó preguiçoso, até quanto ficarás deitado? quando te levantarás do teu sono?” (6.9); “A alma do preguiçoso deseja e coisa ne­nhuma alcança” (13.4); “O caminho do pre­guiçoso é como a sebe de espinhos” (15. 19); “O desejo do preguiçoso o mata, por­que as suas mãos recusam-se a traba­lhar”, 21.25. O preguiçoso tem as suas desculpas: “Diz o preguiçoso: um leão está lá fora; serei morto no meio da rua”, Pv 22.13.
Também na obra de Deus a pre­guiça causa muitos males. A igreja de um pastor preguiçoso estaciona. A vida do crente que, por preguiça, não ora, não lê a Palavra de Deus, é sem frutos. Paulo, o maior dos apóstolos, afirma: “Mas pela graça de Deus sou o que sou, e sua graça para comigo não foi vã, antes trabalhei muito mais do que todos eles”, 1 Co 15.10. Jesus muitas vezes chamou seus discípulos a trabalhar. Essa ordem chega até nós. Trabalhemos, pois, lançando fora a pregui­ça!
Fonte: padom.com.br/Extraído do LivroE a Bíblia Responde – CPAD

Postado por  Sérgio Ramos/Diácono

segunda-feira, 13 de janeiro de 2014

Pastor Geraldo Magela; Escreve Artigo Sobre SEXO ORAL..."

(Foto: Aquivo Pessoal do Pastor)
Qualquer pastor que está na rede social ou dirige igrejas onde as ovelhas livres em Cristo sempre é questionado sobre o que "pode" e o que "não pode" acontecer na cama de um casal cristão. Os pastores conservadores respondem que, sendo santificado com jejum e oração, quase nada pode. Sexo só para procriação, como afirma o romanismo.

Para esses, quem inventou o prazer sexual foi o diabo. Deixemos os conservadores fora desse assunto. Indo direto à Palavra, vemos que, no casamento, o corpo da mulher pertence ao marido e o corpo do marido pertence à mulher. Vemos também que Salomão escreveu um maravilhoso livro sobre sexualidade sadia: Cantares. 

Pelo visto, Salomão ia fundo naquilo que escreveu com tanta poesia. Deveria ser o livro de cabeceira de todo casal evangélico. Além disso, casais sadios devem buscar o prazer sexual como bênção de Deus.

Aí vem a pergunta: "se meu marido quiser sexo oral devo fazer?" 1. Tudo que não for consentimento na relação sexual vira estupro. Se você não quer, não faça. Se alguém a obrigar, é maldade, é egoísmo, é pecado.

2. Se você quer, faça. Ninguém tem nada a ver com isso. E a Palavra e Deus deixa claro que a intimidade do casal deve ser honrada. Assim como ninguém precisa da anuência de nenhuma autoridade eclesiástica para ser sexualmente feliz.

3. Ninguém precisa da autorização de padre, pastor ou guru para praticas sexuais dentro do casamento.
3. Se você está em dúvida se vai gostar ou não, procure bons livros sobre sexualidade humana para conhecer melhor o assunto. Peça a seu marido para lê-los também (o que, adianto, vai ser difícil, porque brasileiro não gosta de ler nada. A não ser que seja ilustrado...). Seu marido irá se surpreender, bem como você.

4. Se seu marido insistir, diga a ele que sempre fantasiou fazendo sexo oral, mas com uma condição: que ele faça você sentir prazer primeiro! Se ele topar e você sentir prazer, nada mais justo que retribuir a gentileza. Conheço muitos pastores, de igrejas bem legalistas, que tratam o sexo oral com naturalidade. 

Outros vêem na prática o gatilho do fim dos tempos. Minha opinião sincera? A vida é sua, o casamento é seu. Não deixe de ter prazer ou dar prazer a seu esposo por que um pastor é a favor ou é contra. Isso se chama fanatismo. Se a sua consciência não arde, fique à vontade. Só dois alertas, pois julgo oportuno esclarecer:

1. sonegue prazer a seu cônjuge e ele ou ela poderá encontrar quem lhe forneça prazer sem precisar de um concílio religioso para tanto.

2. saiba que prazer no casamento é recíproco, essa é a ideia original: quem tanto deseja que também proporcione. Isso tudo em amor, de verdade.

Escrito pelo Pastor Geraldo Magela
IGREJA MARANATA/ Ministério Surubim

quinta-feira, 2 de janeiro de 2014

“Homossexualidade é um engano na vida de quem a pratica”, confessa ex-homossexual

Falsa propaganda, sustentada pelo governo e pela mídia elitista para doutrinar crianças e jovens na homossexualidade, se combate com testemunho de quem viveu essa prática.
Saulo Navarro tem esse testemunho. Ele viveu a homossexualidade.
Se você quer combater a propaganda da mentira gay patrocinada pelo governo e pela mídia, leia e divulgue a entrevista que Saulo Navarro deu ao blogueiro Júlio Severo:
Julio Severo: Qual foi a causa de sua entrada na prática homossexual?
Saulo Navarro: Passei por situações de traumas e abusos na minha infância e pré-adolescência que me deixaram totalmente inseguro para desempenhar minha masculinidade. Chamo esta fase de “pré-homossexualidade”, ou seja, houve uma construção que favoreceu minha entrada na prática da homossexualidade. Durante minha juventude, fiz algumas tentativas frustradas de namorar garotas. Uma namorada, ao perceber que eu não iniciava alguns “contatos” físicos falou ao meu ouvido que às vezes achava que eu não era homem. Estas palavras feriram profundamente minha alma. Ocorreu mais tarde, com esta mesma namorada, uma situação de abuso sexual. Este abuso gerou em mim pensamentos de incompetência, medo, angústia, frustração. A partir deste momento decidi nunca mais namorar garotas. Só que não disse que iria ser homossexual. Porém, tive contato com o meio homossexual através de um amigo que estava nesta prática há anos. Então, depois de toda esta construção, acabei por me declarar homossexual. Ainda mais convivendo com amigos(as) que praticavam a homossexualidade de forma tão aberta.
JS: O que deixava você mais inquieto na prática homossexual?
SN: A infidelidade e instabilidade. Busquei ser fiel em cada relacionamento, mas via a infidelidade reinar. Durante 12 anos na prática da homossexualidade jamais presenciei uma dupla ser fiel. A pornografia também me deixava inquieto. Menciono também a questão sexual, pois o sexo homossexual masculino acaba numa mistura de fezes com esperma que não serve para nada.
JS: Há uma ideia imposta hoje de que a psicologia pode e dever ser usada para manter homens nas práticas homossexuais, mas não pode ser usada em favor dos homens que querem sair dessas práticas. O que você acha?
SN: Conselho Federal de Psicologia se dobrou ao movimento LGBT. Tenho acompanhado as tomadas de decisões deste Conselho com relação à censura que os psicólogos sofrem ao demonstrar que podem ajudar a resignificar a sexualidade de uma pessoa que esteja insatisfeita com a atração que sente pelo mesmo sexo. Se todas as pessoas que sofrem por sentirem atração pelo mesmo sexo falassem que não querem estar homossexuais é bem provável que este Conselho, que trabalha em favor do movimento LGBT, avalie estas limitações impostas aos profissionais da psicologia. Estas pessoas merecem ter esta ajuda sem que tenham que perambular pelas vielas das clínicas para achar alguém que possa atendê-los sem receio e medo de ser punido pelo CFP. Pessoas que deixaram a prática homossexual fazem parte de uma diversidade que é rejeitada e odiada pelo movimento gay e agora pelo CFP. É uma tremenda vergonha o que este Conselho tem feito ao limitar seus profissionais por pura manipulação do movimento gay. Na verdade quando o CFP age desta forma está demonstrando para a sociedade que a ferramenta psicologia não serve para algumas áreas da vida de uma pessoa, está dizendo que não serve para ajudar um indivíduo que está em sofrimento psíquico e deseja abandonar a homossexualidade. Vou mais além, as faculdades de psicologia de nosso país estão formando psicólogos totalmente favoráveis ao movimento LGBT. Esta geração de psicólogos já está aí, nas clínicas, propagando ideologias como a do movimento gay e de gênero. Ou seja, vivemos um momento em que a psicologia trabalha em favor da Nova Era.
JS: Você crê que Deus liberta os homossexuais sem psicologia?
SN: Creio. Deus é soberano. A psicologia é uma ciência e Deus excede a toda ciência. Vejo a psicologia como mais uma ferramenta que pode ser utilizada por Deus para levar saúde emocional ao ser humano. Aponto o seguinte: após 12 anos de prática homossexual percebi que as instabilidades do meio gay estavam me levando a um estado emocional deplorável. Recebi um convite de um amigo para ir numa reunião da igreja em que participava. Aceitei Jesus como meu único Senhor e Salvador e passei a segui-lo aceitando todo conteúdo bíblico como verdade para minha vida, inclusive as passagens que tratam da homossexualidade como pecado e comportamento fora da vontade de Deus para o ser humano. Ao chegar em casa, após aceitar Jesus em minha vida, percebi que o desejo pelo mesmo sexo ainda estava lá, era real. Durante 4 anos caminhei dentro da igreja sentindo atração pelo mesmo sexo. Ficou claro para mim que deixar de sentir atração pelo mesmo sexo levaria tempo, não se mudaria de um dia para o outro. Entendi que Deus estava proporcionando ferramentas para me ajudar na caminhada. Pessoas foram usadas por Deus para me levar ao crescimento e amadurecimento. Em um determinado momento precisei da ajuda de uma psicóloga que tratou as consequências dos abusos que sofri durante minha vida, inclusive o abuso sexual sofrido por uma namorada. Acredito que um psicólogo sério (cristão ou não), que não tenha se dobrado às imposições do CFP, pode ajudar um indivíduo a abandonar o comportamento homossexual. Esta pessoa que busca ajuda para abandonar o comportamento homossexual precisa estar inserida numa relação de ajuda. Sozinho é praticamente impossível vencer.
JS: Há uma grande afinidade entre religiões afro-brasileiras (candomblé, por exemplo) e homossexualidade. O deputado gayzista Jean Wyllys disse que foi guiado por exus para entrar na política. Luiz Mott, o líder máximo do movimento homossexual no Brasil, é também simpatizante das religiões afros. O que você acha dessa relação?
SN: Antes de entrar na prática da homossexualidade fui abordado por um homem que participava de uma destas religiões afro-brasileiras que veio me pedir algo: “para que eu me desenvolva lá dentro será preciso ter uma relação homossexual e escolhi você”. Ele não se considerava homossexual, mas disse que precisaria se envolver com a homossexualidade. A prática da homossexualidade não faz parte do projeto de Deus para o ser humano. Interessante o que houve com este rapaz: ele teria que se sujeitar a uma prática sexual para atender à imposição de uma religião e desta forma adquirir crescimento e poder. Neste caso este rapaz não se considerava homossexual. Conheci pessoas que se consideravam homossexuais e que se envolveram com religiões afro-brasileiras porque encontraram ali um local que não exigiria mudança de comportamento. Pode-se estar homossexual sem problema algum, assim como podemos ver nas igrejas inclusivas.
JS: Uma das aflições que Jesus mais lidou em sua pregação e demonstração do Evangelho do Reino de Deus era a possessão demoníaca. Ele expulsava demônios frequentemente e deu autoridade aos seus seguidores em todas as gerações de também oferecerem libertação espiritual aos possessos. Em que ponto existe uma relação entre práticas homossexuais e possessão demoníaca?
SN: O mundo em que vivemos jaz no maligno. Homens e mulheres, homossexuais ou não, sofrem opressões demoníacas e alguns chegam a ser possessos de demônios. Estive na prática da homossexualidade por 12 anos, passei por momentos de libertação na igreja em que congregava e não tive manifestação de demônios por conta deste envolvimento com a homossexualidade. Conheci pessoas no meio homossexual que se envolveram com situações que permitiram demônios entrarem em suas vidas. Um amigo foi possesso de demônios e houve libertação durante um momento de expulsão dos mesmos. A expulsão destes demônios não anulou a atração que ele sentia pelo mesmo sexo. Ele entendeu que o comportamento homossexual foi aprendido e poderia ser desaprendido dentro de um processo de ajuda.
JS: Nas épocas em que não existia propaganda gay, a entrada na homossexualidade se dava quase que exclusivamente pelo abuso sexual. Você teme que agora, com a enorme e onipresente propaganda gay estimulando abertamente a homossexualidade e apresentando-a como alternativa atraente e desejável, os jovens fiquem confusos e optem por experimentar?
SN: Tenho ouvido vários pré-adolescentes e adolescentes envolvidos com a homossexualidade e bissexualidade que me procuram para desabafar. Os pais descobrem o envolvimento do filho na homossexualidade e se inicia um enorme stress em cima do filho para que mude de comportamento o mais rápido possível. Chamo estes pré-adolescentes e adolescentes de “Geração Tolerância”. Alguns falam de abusos sexuais e abusos emocionais como parte de sua história, a maioria me fala o seguinte: “Saulo, sua história de vida é marcada por traumas e abusos. Eu não tenho nada disto do que você fala e escreve, estou na homossexualidade porque gosto e não vejo problema algum. Entendo que Deus é amor e que Ele não condena o meu amor por uma pessoa do mesmo sexo.” Esta geração recebeu estímulo para ver a homossexualidade e bissexualidade como normal, desde o berço. A propaganda gay e a mídia têm estimulado uma geração inteira para que pratiquem não só a homossexualidade como a bissexualidade também. Esta geração não passou por abusos sexuais e traumas. Sofrem estímulos e manipulações há anos. Atualmente as famílias estão colhendo os frutos desta manipulação toda que vemos ser propagada ao nosso redor. Para estes jovens, a palavra tem de ser de alerta total. Eles precisam saber do que há por trás desta manipulação. Ideologias gays, de gênero, feministas e outras têm grande interesse em destruir às famílias que possuem valores principalmente cristãos, e isto se consegue através das influências feitas na mente das crianças.
Para estes escrevo: Fantoches úteis, isto mesmo, fantoches úteis. Vivemos numa época onde pré-adolescentes, adolescentes e jovens assumem abertamente aos pais sua homossexualidade e bissexualidade. Estes jovens se declaram livres, parte de uma geração tolerância que se acham donos do próprio nariz. Gritam em alta voz que são livres para viver a sexualidade da forma que acharem melhor. Para estes jovens eu digo, CUIDADO – VOCÊ QUE SE ACHA LIVRE, QUE FAZ O QUE QUER, VOCÊ ESTÁ MAIS PRESO DO QUE POSSA IMAGINAR. Esta geração que se assume homossexual está apenas agindo como os ideólogos gays, feministas e de gênero querem. Estes jovens são usados e manipulados por ideologias que têm o único interesse de destruir a família tradicional, projetada por Deus. Enquanto se dizem livres, na verdade são bonecos de fantoche nas mãos destes movimentos que buscam desmontar a sociedade atacando a célula nuclear, a família.
JS: O que você pensa da forte política moderna dos EUA, que apenas algumas décadas atrás eram uma potência protestante, de liderar o imperialismo homossexual internacional?
SN: Os EUA estão se prostituindo com a Nova Ordem Mundial que tem por objetivo não só proliferar a homossexualidade como destituir a família projetada por Deus da posição em que sempre esteve. Esta forte política moderna dos EUA atende a uma agenda do inferno, de homens interessados em dizimar a família cristã do mapa.
JS: O que você acha do PLC 122 e outras leis que criminalizam a opinião cristã contra as práticas homossexuais?
SN: A intenção de todas estas leis é não somente tratar da legalização da imoralidade como também eliminar todo pensamento que trata do pecado. A imoralidade está aprovada e amparada por lei, então, por que tratar a homossexualidade como pecado? O pecado deixando de ser considerado pecado elimina os feitos de Jesus e, logicamente, acontece uma verdadeira caça às bruxas, uma caça aos cristãos que verdadeiramente dão nome ao pecado. Cala-se a boca dos cristãos e elimina valores embasados no que Deus projetou para o ser humano. O PLC 122 não só criminaliza a opinião cristã como gera novos valores na sociedade, exemplo: o casamento entre um homem e uma mulher sempre teve um valor, hoje uma dupla do mesmo sexo recebeu um valor através da PLC122, e posteriormente um homem com três mulheres também terá um valor dentro da sociedade.
JS: Como as igrejas devem lidar com homossexuais que chegam aos seus templos pedindo ajuda?
SN: Primeiramente a igreja precisa urgentemente entender o que acontece no mundo. Entender como os grupos gays, feministas e de gênero estão agindo na sociedade. As igrejas precisam de homens e mulheres sarados em sua feminilidade e masculinidade para conseguir proporcionar apoio ao que sofre com sua sexualidade. É preciso voltar ao discipulado, ao caminhar junto, dentro de uma relação de ajuda. É preciso estar a par do que há por trás da pessoa que chega pedindo ajuda. Se a igreja entender que a homossexualidade na vida de uma pessoa não é o foco e sim o que sustenta esta pessoa na homossexualidade então alguns passos já foram dados. A omissão da igreja foi grande e agora é apagar incêndio. A igreja tem de sair da omissão e partir para a compaixão, para a ação. É preciso compreender os infinitos fatores que podem levar um indivíduo à prática da homossexualidade. O meio homossexual é instável, e haverá um tempo em que esta pessoa poderá ir até uma igreja em busca de apoio. As igrejas podem oferecer um local seguro e confiável, oferecer um ambiente caloroso que mostre a diferença de uma vida de pecado com uma vida em Cristo.
JS: Como as igrejas devem lidar com a militância gay organizada que pressiona os cristãos a se renderem diante das exigências da agenda gay?
SN: A militância gay é cruel e sem escrúpulos. A igreja não deve ser ingênua a ponto de desconsiderar este fato. A igreja deve ser firme em seu posicionamento e estar sempre contrária a esta agenda gay e se preciso for se defender juridicamente dos ataques da militância gay.
JS: Grandes denominações protestantes nos EUA, inclusive a presbiteriana e a luterana, estão ordenando pastores homossexuais. O que os cristãos brasileiros precisam fazer para se proteger dessa influência da apostasia americana e da teologia gay?
SN: Os cristãos brasileiros devem estar atentos a todo movimento contrário à verdadeira palavra de Deus. Para isto é preciso se voltar à Palavra de Deus pura e limpa. A teologia gay ganha espaço na mente de uma parte dos cristãos justamente pelo desconhecimento que estes tem da Palavra de Deus. A manipulação da teologia gay é grande, tem convencido cristãos de que Deus aceita toda forma de amor. O povo cristão brasileiro precisa parar de ver novela. As novelas brasileiras vêm há décadas mostrando mentiras como verdades, o povo cristão brasileiro tem dado atenção a essas porcarias que passam na TV. Com isto temos uma geração que tem um olhar totalmente normal quanto à homossexualidade e bissexualidade. Escrevo sobre este assunto por justamente ouvir jovens que receberam esta lavagem cerebral durante toda uma infância e adolescência. E infelizmente pais cristãos assistem a toda esta porcaria na TV ao lado de seus filhos. Enquanto isto a teologia gay caminha em passos largos. É hora de se levantar e se posicionar contra estas mentiras pregadas pela teologia gay, que tenta a todo custo convencer cristãos de que o amor entre duas pessoas do mesmo sexo são aceitas por Deus desde que estejam numa relação estável. Uma mentira contada mil vezes se torna uma verdade.
JS: Quase vinte anos atrás, quando Marta Suplicy apresentou um projeto de lei de união civil homossexual, ela negou completamente que o alvo era casamento e adoção de crianças por duplas gays. Vinte anos depois, o alvo deles é claro: casamento e adoção. Você acha que há mais objetivos que eles querem conquistar a curto ou longo prazo, embora neguem hoje?
SN: Esta manipulação toda começou com a união estável entre um homem e uma mulher, o que abriu espaço para a união estável entre pessoas do mesmo sexo. Com isto, conquistou-se o “casamento” entre pessoas do mesmo sexo, inseminação e adoção. Agora abriu-se espaço para outros tipos de uniões, como dois homens e uma mulher, uma mulher e dois homens… Não tenho dúvida alguma que o objetivo a curto prazo seja a legalização da pedofilia. O pedófilo terá agora uma orientação sexual assim como os homossexuais. Toda esta manipulação vem acontecendo gradativamente, como um conta gotas. Mentiras são contadas infinitas vezes e a sociedade engole como se fosse verdade. É a tal da ideologia de gênero que trabalha com a manipulação da linguagem.
JS: Qual é o seu ministério hoje?
SN: Desenvolvo palestras, estudos, seminários e oficinas dentro das igrejas cujo foco é a conscientização do povo de Deus para oferecer apoio e graça ao que busca ajuda para abandonar a prática da homossexualidade. Através destas atividades levo esclarecimentos quanto a temas como Ideologia gay, ideologia de gênero (Teoria Queer), Prevenção da Homossexualidade, Crianças Transgênero Futuros Transexuais, Quando Alguém do seu Convívio Diz que é Homossexual, Nova Ordem Mundial, etc. O tempo que dedico a estas atividades é parcial.
JS: Você tem livros publicados?
SN: Não. O único material que escrevi foi minha história de vida e está disponibilizado na internet: Homossexualidade – Um Engano em Minha Vida.
JS: Como você alcança homossexuais?
SN: Através das atividades que desenvolvo nas igrejas e materiais que disponibilizo na internet. Com a conscientização que levo às igrejas consigo mobilizar outras pessoas para se posicionarem neste tipo de ajuda ao que sofre devido a atração que sente pelo mesmo sexo. Raramente tenho tempo para aconselhar pessoas.
JS: Seu ministério ajuda apenas homossexuais ou também outras pessoas oprimidas?
SN: De início o foco foi apenas homossexuais, porém devido à demanda tenho ajudado pais de homossexuais e pessoas que sofrem com a homossexualidade de alguém de seu convívio
JS: O que você aconselharia aos intercessores, que clamam diante de Deus pela libertação dos homossexuais e contra o imperialismo homossexual que está sendo imposto sobre crianças e famílias?
SN: Agir urgentemente, ir para a prática e criar ferramentas que possam combater este imperialismo gay. Tenho visto muita teoria e pouca prática dentro de nossas igrejas. As crianças aqui no Brasil em breve serão preparadas para o “gênero neutro”, e os pais não estão percebendo a manipulação destes movimentos. Se você é um intercessor então parta para a ação. Interceda para que os líderes cristãos possam preparar uma nova geração de homens e mulheres sarados em sua masculinidade e feminilidade, para que possam ser instrumentos de bênçãos na vida de seus filhos.
JS: Qual a mensagem que você daria às igrejas nestes tempos em que se aproxima uma ditadura gay?
SN: Estejam preparadas para defender sua crença. Agora veremos quem é o verdadeiro cristão. A ditadura gay está com o terreno preparado e os líderes das igrejas terão que ser firmes em seu posicionamento. Atualmente não tenho ouvido pregações que falam do pecado, já existe um medo instalado. A igreja será o único local que poderá se opor a ditadura gay. Igrejas, estejam atentas a tudo o que acontece no mundo. Estejam a par das leis que favorecem a ditadura gay. Orar é bíblico, e agir também é.

Para ouvir uma palestra de Saulo Navarro, clique neste link: http://youtu.be/kyN0ed2TDeY

Feliz 2014

Chegou o novo ano (2014), e eu venho por este meio em oração, clamar ao Senhor Jesus Cristo para que Ele possa está derramando bênçãos na vida de cada família dos internautas leitores do nosso blog e também daqueles que não são leitores.

Para que possamos juntos avaliamos cada gesto e ação que realizarmos para com os nossos semelhantes no ano que passou, e que neste ano que se inicia estejamos prontos a darmos o melhor de nós para todos (as).
Que venhamos deixar às coisas ruins que destrói  á nós mesmos e ao nosso próximo.

Senhor, que possamos nos desarmamos das ambições que o ego humano nos leva a buscar, mesmo que para isto, seja necessário passar por cima do outro independente dos métodos usados para alcançar o que queremos.

Que os políticos, principalmente os maus políticos aprendam a fazer política com decência e respeito aos seus opositores e principalmente ao povo.

Neste novo ano, venhamos verdadeiramente entender que não temos nada neste mundo, pois, até as nossas vidas não nos pertencem, pertence a Deus, então para quer tanta vontade em querer fazer prejudicar o outro?

Precisamos cada um de nós, buscar a cada instante amar o nosso semelhante de coração aberto e não de formar mesquinha, querendo apenas levar vantagem sobre o próximo, o que não faz bem a ninguém, principalmente  a nós mesmo.

Deus. Oro a ti Senhor, pedindo-te nos daí forças para que sejamos seres humanos melhores.
Pense nisto; Que tipo de ser humano tem sido você?

Escrito por Dc. Sérgio Ramos/ 02/01/2014